Notícias

Drogas no esporte: uma triste e destrutiva relação  Notícias sobre drogas e alcool - Site Antidrogas


A confissão do uso de crack feita pelo atacante Jobson, ex-Botafogo (estava sendo negociado com o Cruzeiro) e a suspensão dele por dois anos da prática esportiva evidenciaram novamente os problemas das drogas no mundo do esporte. Diante de uma situação delicada em que tanto a carreira quanto a vida de um desportista pode ser afetada, e até mesmo destruída, médicos, psicólogos, membros da preparação física e também familiares possuem papel fundamental para que os atletas trilhem por um caminho saudável e de sucesso.

A lista de personalidades do esporte que se envolveram com drogas é extensa (veja alguns exemplos no quadro ao lado).

No caso de Jobson, o atacante foi suspenso por dois anos por uso de cocaína, apesar do próprio jogador ter afirmado que, na verdade, usou crack. O avante, que defendia o Botafogo, foi flagrado duas vezes no exame antidoping no Campeonato Brasileiro do ano passado, nas vitórias sobre o Coritiba, por 2 a 0, e Palmeiras, por 2 a 1. A Procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) recorreu e solicitou que a punição seja dobrada, passando para quatro anos.

Diretor da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional da UFMG e fisiologista do Cruzeiro, Emerson Silami vê com tristeza a situação de Jobson e acredita que o fato evidencia um problema social, do qual o esporte não está imune. "No exemplo do Jobson, está ameaçada a carreira de um jovem, vindo de uma família humilde, que foi influenciado e acabou se dando mal por um ato infantil. O atleta é um ser humano normal como qualquer outro, um jovem, que acaba sendo seduzido. Todas as famílias no país possuem algum caso ou conhecem algum caso de drogados.".

No entanto, Silami acredita que o uso de drogas ilícitas como cocaína e crack no meio esportivo é algo insignificante em relação ao que se consome na sociedade. "Há 40 anos estou no esporte, no atletismo e no futebol, e são raros os casos de drogas. Os exemplos de casos de drogas nos esportes são mínimos. As drogas não possuem benefício algum, em todos os aspectos sociais", declarou.

Prejuízo
Jobson. O atacante teve parte dos direitos adquiridos pelo Cruzeiro junto ao Brasiliense-DF, assinou um contrato de cinco anos, e especula-se que receberia R$ 100 mil mensais. Após o doping, o negócio foi desfeito.

Outros casos
Confira alguns esportistas consagrados que se envolveram com drogas:

Maradona. O ex-jogador do Boca Juniors e da seleção da Argentina, e atual treinador do time nacional argentino, é o caso mais famoso. Esteve envolvido com cocaína durante e depois da carreira. Recorreu várias vezes a clínicas de reabilitação.

Casagrande. O ex-jogador do Corinthians e da seleção brasileira usou maconha, cocaína e heroína, durante
e após a carreira.

Reinaldo. O ex-atacante do Atlético e da seleção brasileira esteve envolvido com cocaína depois que encerrou a carreira.

Dinei. O ex-jogador do Corinthians admitiu o uso de cocaína durante parte da carreira.

George Best. O atacante do Manchester United e da seleção da Irlanda do Norte foi dependente do álcool enquanto ainda atuava.

Ortega. O jogador do River Plate admitiu o uso de álcool em parte de sua carreira.

Fora do futebol. Os casos mais conhecidos são Giba, jogador de vôlei da seleção brasileira, que admitiu o uso de maconha em 2002; o ex-boxeador Mike Tyson, que admitiu o uso de álcool e cocaína em 2006; e o nadador norte-americano Michael Phelps, que admitiu em 2009 o uso de maconha.
Fonte:O Tempo/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)







Publicidade







Apoio



Copiadora Campos
Art & Design

Toldos Campos
Toldos - Paineis - Adesivos





Mauricar
Dando mais saúde à vida de seu veículo