Notícias

Pego no antidoping, atleta prova que ingeriu cocaína indiretamente  Notícias sobre drogas e alcool - Site Antidrogas



Shawn Barber Canadense Salto com Vara (Foto: Reuters / Phil Noble)

Canadense Shawn Barber disse que não viu o consumo da droga pela mulher ou que ela aparentasse estar sob efeitos da substância. Ele ficou em décimo na Rio 2016
Por GloboEsporte.com Rio de Janeiro

O canadense Shawn Barber deu positivo para cocaína em um teste de dopping, ainda assim, competiu na Olimpíada do Rio de Janeiro. O atleta do salto com vara foi liberado pelo órgão do governo canadense responsável por casos de doping (Sport Dispute Resolution Centre), que concluiu que o consumo da droga foi acidental. O caso aconteceu neste ano, mas só veio à tona após uma decisão divulgada nesta quinta feira pela entidade do Canadá.

Utilizando um site de propagandas para encontros casuais, Barber, após dispensar duas outras respostas ao seu post, marcou com uma mulher em um quarto de hotel no dia 8 de julho, durante o campeonato canadense de atletismo de 2015. Identificada como "Pamela W", a mulher disse que usou o banheiro de um hotel para usar cocaína alguns minutos antes do atleta entrar no quarto. Ela também confirmou que usou a droga horas antes. Eles se beijaram e tiveram relações sexuais por cerca de 30 minutos, sem qualquer transação financeira envolvida.

De acordo com a decisão da entidade, Barber não presenciou o uso das substâncias ou tampouco suspeitou do histórico da mulher com drogas. Ele também frisou, em seu perfil no site, que queria se relacionar com uma mulher que não usasse drogas e não tivesse doenças.

- O conselho concluiu que era impossível que o atleta soubesse que, ao beijar Pamela, ela transferiria cocaína para ele. O atleta não sabia do histórico de cocaína de Pamela. E por não ter visto qualquer uso da substância durante a noite toda, e que ela estivesse sob efeito da droga, como poderia imaginar que ela teria consumido? - afirmou o juiz Ross C. Dumoulin, em nota.

A entidade, então, definiu que Barber não seria banido pelo teste positivo. Ele disputou a Olimpíada e terminou em décimo na Rio 2016. Essa não foi a primeira vez que esse tipo de defesa foi utilizado para evitar uma suspensão no esporte. Em 2009, o tenista francês Richard Gasquet se safou de ficar um ano sem disputar torneios, ao provar que tinha ingerido cocaína, sem saber, ao beijar uma mulher.
Fonte:UNIAD - Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas







Publicidade





Apoio

Toldos Campos
Toldos - Paineis - Adesivos





Mauricar
Dando mais saúde à vida de seu veículo



Copiadora Campos
Art & Design