Notcias

Ministro do STF defende legalizao da maconha e da cocana contra crise penitenciria  Notcias sobre drogas e alcool - Site Antidrogas



O ministro Luiz Roberto Barroso durante a sesso do STF nesta quarta
Jorge William / Agncia O Globo

O ministro Lus Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), defendeu nesta quarta-feira a legalizao da maconha como forma de aliviar a crise do sistema penitencirio brasileiro. Segundo ele, a medida desmontaria o trfico de drogas e, com isso, o nmero de condenados diminuiria. Barroso afirmou que, se a experincia desse certo com a maconha, seria o caso de legalizar tambm a cocana.

A primeira etapa, ao meu ver, deve ser a descriminalizao da maconha. Mas no descriminalizar o consumo pessoal, mais profundo do que isso. A gente deve legalizar a maconha. Produo, distribuio e consumo. Tratar como se trata o cigarro, uma atividade comercial. Ou seja: paga imposto, tem regulao, no pode fazer publicidade, tem contrapropaganda, tem controle. Isso quebra o poder do trfico. Porque o que d poder ao trfico a ilegalidade. E, se der certo com a maconha, a eu acho que deve passar para a cocana e quebrar o trfico mesmo disse o ministro.

Barroso ressaltou que a posio dele no ideolgica a favor das drogas, mas pelo combate ao trfico e criminalidade.

A minha proposta no ideolgica. No acho que droga seja bom. No como liberdade de imprensa, no sou a favor de droga. Eu sou contra a criminalizao como ela feita no Brasil, porque as consequncias so piores do que os benefcios. Eu educo meus filhos numa cultura de no consumir droga. Mas acho que a melhor forma de combater a droga legalizando afirmou Barroso.

O plenrio STF comeou a analisar um processo que pede a descriminalizao do porte de drogas, mas um pedido de vista do ministro Teori Zavascki interrompeu o julgamento. Com a morte do ministro, o sucessor dele, que ainda no foi escolhido pelo presidente Michel Temer, vai herdar o processo. A expectativa de que o caso demore at ser devolvido ao plenrio, porque o novato ainda teria que estudar o caso antes de elaborar o voto.

Barroso explicou que no cabe ao Judicirio decidir sobre a legalizao ou no das drogas. Essa seria uma tarefa para o Congresso Nacional que, segundo ele, precisa abandonar os preconceitos antes de analisar o tema.

Isso depende de legislao. preciso superar preconceitos e preciso lidar com o fato de que a guerra s drogas fracassou e agora temos dois problemas: a droga e as penitencirias entupidas de gente que entra no sendo perigosa e sai perigosa. Eu sei que h muito preconceito, mas a questo vai ser ou fazer logo, ou fazer ali na frente, porque no tem alternativa opinou o ministro.

Para Barroso, um dos grandes problemas do sistema penitencirio a priso de pequenos traficantes que no so perigosos e, quando deixam a priso, ficam perigosos.

A crise no sistema penitencirio coloca agudamente na agenda brasileira a discusso da questo das drogas. Ela deve ser pensada de uma maneira mais profunda e abrangente do que a simples descriminalizao do consumo pessoal, porque isso no resolve o problema. Um dos grandes problemas que as drogas tm gerado no Brasil a priso de milhares de jovens, com frequncia primrios e de bons antecedentes, que so jogados no sistema penitencirio. Pessoas que no so perigosas quando entram, mas que se tornaram perigosas quando saem. Portanto, ns temos uma poltica de drogas que contraproducente, ela faz mal ao pas declarou.
O Globo
Blog do BG







Publicidade








Apoio

Copiadora Campos
Art & Design

Toldos Campos
Toldos - Paineis - Adesivos





Mauricar
Dando mais sade vida de seu veculo