Amor Exigente Responde V

Como posso ajudar um drogado?
Propondo ajuda, sem grandes discursos. Algo assim "Sei que você está na pior. Se precisar de ajuda me procure". Se possível, dê-lhe um abraço. Podemos fazer mais. Diga claramente: "Eu gosto muito de você, mas não concordo com o que você está fazendo!" Manifeste sempre a sua discordância. Quando ele estiver "limpo" conte como ele se comporta quando está drogado – seja seu espelho. Normalmente o drogado é solitário e carente. Ofereça-lhe alternativas sadias, convide-o para passeios e programas com a sua turma, desde que ele esteja "limpo" e não se drogue durante o programa. Nunca aceite drogas, por mais que ele lhe ofereça e argumente. Não caia nas "lindas" histórias que ele conta. Os drogados, além de mentirosos, possuem uma imaginação praticamente ilimitada. Eles sempre falam que são coitadinhos, injustiçados, frutos de pais horríveis, etc. estão sempre à procura de compaixão. As namoradas que o digam. Porém, se ele estiver usando pesadamente, será difícil você fazer alguma coisa por ele. Corte esta de corporativismo. Avise, com cautela, os pais dele ou os professores. Já não é uma questão de bagunça, de "apronto". É uma questão de vida! Não permita que ele use drogas em sua casa, com seus amigos, nos programas feitos em conjunto. Quem é mais louco: quem guia sob efeito de drogas ou quem senta ao lado, como passageiro? Quantos caronistas, festeiros, são conduzidos por drogados?

E se ele me procurar ou pedir ajuda?
Encaminhe-o a pessoas que entendem do assunto. Não se meta a querer, sozinho, solucionar o problema. De imediato você poderá encaminhá-lo a um grupo de apoio ao usuário: Narcóticos Anônimos, A A, ou a ambulatórios especializados neste tipo de atendimento. Um médico poderá ajudar, desde que esteja envolvido com o assunto, caso contrário só irá atrapalhar. Procure um grupo de ajuda a responsáveis, tipo Amor Exigente. Não se afobe, o problema não surgiu ontem, provavelmente está instalado há muito tempo. Portanto, calma!

E se ele estiver passando mal?
Aja imediatamente. Peça ajuda e leve-o a um pronto socorro ou alho equivalente.
Mas, se eu o levar, não terei problemas com a polícia?
De forma alguma. A lei protege com o anonimato aquele que presta ajuda a um usuário que esteja apresentando um quadro agudo de intoxicação, mesmo que aquele que esteja socorrendo seja um dos que estavam na "roda da droga".

Uma namorada pode ajudar?
Não! Provavelmente vai se tornar mais uma drogada. É frequente ouvir o seguinte: "Quando casarmos ele vai parar de usar droga". Isso seria verdade? Não! Esta afirmação é uma loucura, é suicídio. O nosso grupo de AE é frequentemente procurado por moças que buscam ajuda para o marido drogado. Não raro, quando elas chegam pela primeira vez, estão trazendo um ou mais filhos pequenos. Ao serem perguntadas há quanto tempo o marido faz uso de droga, informam que já usava no tempo de namoro e ou noivado. Normalmente quando a jovem esposa faz a célebre afirmação: "Ou eu ou a droga!", o marido escolhe a droga. Raramente acontece o contrário. Você já não cansou de ouvir em depoimentos de drogados ou ex-drogados, em televisão, rádio, palestras, a seguinte afirmativa: "perdi tudo, família, casa, carro, emprego, amigos…"? Veja bem: perdeu família, isto é, optou pela droga. A afirmação "Ou eu ou a droga!" deve ser feita, porém antes do casamento!!! A noiva não deve sucumbir às pressões dos familiares ou da sociedade, pois não serão eles que terão de conviver com a loucura de um drogado. "Que faço do vestido de noiva?". Guarde, candidato melhor aparecerá. "os convidados?" Desconvide-os. É preferível uma noiva chorando ao pé do altar do que um casamento desgraçado!

Tirado do livro: "Mostrar caminhos"
Autor: Prof José Neube Brigadão
Colaboração: Vera Gelás