Tráfico queima seis ônibus

Bandidos da Vila Cruzeiro obrigam moradores a fazer protesto após morte de dois homens em tiroteio com a PM na favela

Em protesto contra ação de policiais do 16º BPM (Olaria) na Vila Cruzeiro, na Penha, que resultou na morte de dois homens acusados de pertencer à quadrilha de Elias Pereira da Silva, o Elias Maluco, bandidos mandaram moradores da favela incendiar, ontem à noite, seis ônibus. Um outro foi apedrejado. Um deles, da Viação Lourdes, que fazia a linha 312 (Olaria – Praça Mauá), foi queimado na Rua Ministro Moreira de Abreu, a 200 metros do batalhão. Os traficantes determinaram também o fechamento do comércio em sinal de luto pela morte dos bandidos.

O comandante da unidade, tenente-coronel Ronaldo Menezes, informou que a manifestação foi orquestrada pelo tráfico em represália à morte de dois integrantes do movimento de drogas da favela. Os mortos eram dois homens que, até a noite de ontem, ainda não haviam sido identificados: um, branco, aparentando 20 anos, e outro, mulato, de 25 anos aproximados. Segundo policiais, eles estavam armados e foram baleados em tiroteio num ponto de venda de drogas da favela. Com eles, foram apreendidas armas e drogas. O coronel Ronaldo Menezes cercou o complexo da Vila Cruzeiro com todo o efetivo e pediu auxílio ao Batalhão de Operações Especiais (Bope) para ocupar a favela.

Shoppings e hipermercado tiveram de fechar às 21h

Dos seis ônibus incendiados, quatro estavam na Estrada José Rucas, um dos acessos da Vila Cruzeiro: três da empresa Três Amigos e um da Viação Lourdes que fazem linha no bairro. Outro ônibus da linha 721 (Vila Cruzeiro – Cascadura), da Três Amigos, foi queimado no ponto final, na entrada da favela em frente ao supermercado Champion. O sexto estava próximo ao 16º BPM.

Após a morte dos bandidos, emissários do tráfico mandaram os shoppings Leopoldina e Penha e o hipermercado Sendas – todos na Avenida Brás de Pina, na Penha –, fechar as portas às 21h. A ordem se estendeu a pequenos comerciantes do bairro.
Fonte: O Dia OnLine