Traficantes são executados na China

No Dia Mundial contra as Drogas, China mata 50 criminosos em diversas regiões de todo país

PEQUIM – Pelo menos 50 traficantes de drogas foram executados em diversas regiões da China devido ao Dia Mundial contra as Drogas. Ao contrário de outros países, que promovem campanhas educativas e procuram esclarecer a população sobre os riscos do consumo de tóxicos, o governo chinês utiliza a data como exemplo de repressão aos criminosos. Além das execuções – por enforcamento e fuzilamento – outras dezenas de pessoas foram julgadas e condenadas à pena máxima.

A China executa mais condenados à morte do que o resto do mundo, mas não publica nenhuma estatística sobre a pena de morte, porque considera o assunto como segredo de Estado. A maior parte das execuções na China são realizadas depois de julgamentos em estádios esportivos e praças públicas.

Prisioneiros seguem em desfile pelas ruas

Os prisioneiros também são levados em desfile pelas ruas da cidade em frente a milhares de pessoas antes de serem executados por pelotões de fuzilamentos.

A organização de defesa dos direitos humanos Anistia Internacional registrou, no ano passado, 2.468 execuções na China, mas considera que o número é muito mais alto, em especial devido à forte campanha de repressão ao tráfico de drogas e ao crime organizado, lançada em abril do ano passado, chamada Golpear Forte.

A Anistia Internacional teme que, na ânsia de produzir resultados para a campanha contra o crime, as autoridades corram o risco de executar inocentes.

A polícia e os promotores foram aconselhados a agilizar o processo para garantir prisões e julgamentos rápidos, disse o grupo.
Fonte: O Dia