Menina britânica de dez anos morre sob suspeita de overdose

da Reuters, em Londres

Uma menina de dez anos morreu na noite de ontem na Inglaterra sob a suspeita de overdose, informou a polícia.

A morte de Jade Slack aconteceu um mês depois de a política sobre drogas britânica ter dominado as manchetes dos jornais e o debate político.

A estudante pode ter tomado ecstasy com um amigo, de acordo com a polícia.

A menina morreu no Hospital Lancaster Royal depois de se sentir mal quando estava fazendo uma visita perto de sua casa em Lancaster, noroeste da Inglaterra.

“Posso confirmar que Jade Slack morreu ontem sob a suspeita de overdose”, disse o detetive superintendente da polícia de Lancaster, Ian Jones, por meio de um comunicado. “Recuperamos objetos da casa e de uma pessoa sob custódia. Temos razão para acreditar que possa ter sido ecstasy.”

Resultados de exames do Ministério do Interior ainda serão divulgados e mais testes serão feitos.

Duas mulheres e um homem entre 18 e 20 anos estão sob custódia policial.

O secretário do Ministério do Interior britânico, David Blunkett, anunciou na semana passada planos para reclassificar a maconha como droga de baixo risco, fazendo da possessão de pequenas quantidades uma transgressão não passível de prisão.

Blunkett rejeitou diminuir o grau de risco do ecstasy, descrevendo-o como uma droga com potencial de morte.

Uma recente pesquisa do ICM para o jornal “Observer” concluiu que mais de 2 milhões de britânicos tomam regularmente ecstasy, anfetaminas e cocaína.

O uso de ecstasy cresceu acentuadamente no Reino Unido durante os anos 1980 em um boom dessa droga em casas noturnas.

Seu grau de perigo teve destaque em 1995 com o caso de Leah Betts, que morreu depois de tomar a droga em seu aniversário de 18 anos em Essex, sul da Inglaterra.
Fonte: Folha OnLine