Duas pessoas são mortas em mais um “acerto de contas” na periferia

Cobrança de dívida por venda de drogas
termina em duplo homicídio

Outro “acerto de contas” entre traficantes que atuam na periferia de Maceió, principalmente nos bairros da parte da alta da cidade, resultou em mortes. Dois jovens criminosos foram executados a tiros, no último domingo à tarde, no Village Campestre, após cobrar uma dívida de R$ 100,00 por venda de maconha. Um dos traficantes morreu no local do crime e o outro, no hospital.

Sílvio Santos de Farias, de 18 anos, e José Claudemilson dos Santos, 20, o “Jacaré”, foram mortos pelo traficante identificado apenas como “Doidinho”. Segundo a polícia, Sílvio e Claudemilson foram ao Village Campestre cobrar uma dívida de R$ 100,00 ao “Doidinho”. Na conversa sobre o pagamento do débito houve uma discussão e, em seguida, foram feitos alguns disparos de arma de fogo. “Doidinho” estava armado com um revólver calibre 38, abriu fogo contra Sílvio e “Jacaré” e, em seguida, fugiu do local da execução.

Sílvio morreu no local do atentado, inviabilizando qualquer tentativa de socorro. “Jacaré” ainda foi levado com vida para o Hospital de Pronto-Socorro (HPS), recebeu os primeiros cuidados médicos, foi submetido à cirurgia e ficou em observação. Na madrugada de ontem, ele não resistiu e morreu.

Os corpos das vítimas foram levados para o Instituto Médico Legal (IML) Estácio de Lima, necropsiados e liberados, em seguida, para sepultamento. O delegado do 10º Distrito de Polícia (DP), Manoel Alves Bezerra, é quem vai investigar o caso em inquérito instaurado ontem pela manhã. Só este mês, pelo menos 12 pessoas envolvidas com drogas, assaltos e roubos já foram mortas em Maceió. Em nenhum dos casos, a Polícia Civil prendeu os criminosos. As informações oficiais dão conta de que apenas as vítimas e os matadores são criminosos e que as execuções se tratam de “acerto de contas entre eles”.
Fonte: O Jornal