Chefe eu errei – Giba conversa com o presidente da Confederação Brasileira

Giba conversa com o presidente da Confederação Brasileira de Vôlei, Ary Graça, e reconhece que fumou maconha em uma ?festinha? na qual estava ?com umas moças?

Num telefonema para o presidente da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), Ary Graça, dois dias depois do anúncio de que foi pego no exame antidoping por uso de maconha, o atacante Giba (foto), da Seleção de vôlei, reconheceu o erro e afirmou ter consumido a droga numa festa.

?Ele me disse: ?Chefe, eu errei. Me deram numa festinha aquilo ali, eu estava com umas moças..?. Ele está solteiro, divorciado, sozinho numa cidade pequena, sob um frio de zero grau. Isso deprime a pessoa, mas é claro que não justifica?, contou Ary, em entrevista à Rede Globo.

Para o presidente da CBV, a melhor maneira de lidar com o problema é trazendo o jogador para perto e conversando com ele. ?Vamos mostrar novamente o seu erro, que já foi mostrado, e trazê-lo de volta para o caminho certo?, completou.

Ary lembrou ainda que um ídolo do esporte, como Giba, não pode se esquecer da responsabilidade que tem diante de seus fãs: ?Ser querido por todos, ganhar dinheiro e ter as fãs ao seu redor é fantástico. Mas não é só isso. Existe o outro lado, que é o da responsabilidade pela imagem, por tudo o que você ganhou?.

A decisão sobre a punição do jogador, que atua no o Estense 4 Torri, de Ferrara, deve sair amanhã, quando Giba e seus advogados vão se reunir com o Comitê Olímpico Italiano (Coni). Além do advogado do Ferrara, Giba contratou o mesmo advogado que atuou no caso da americana Keba Phippis, suspensa por nove jogos por uso de maconha.

O Coni foi o responsável pela realização do exame, no dia 15 de dezembro, após partida entre o time de Ferrara e o Padova, na Itália. O teste acabou registrando traços de metabólitos de THC, um dos resíduos da maconha. A expectativa é de Giba pegue a punição mínima, de nove jogos de suspensão.

Depois da divulgação do resultado positivo no exame do atacante, o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, afirmou que vai intensificar o número de exames preventivos para evitar uma surpresa desagradável nos Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo,em agosto, e nos Jogos Olímpicos de Atenas, ano que vem.

Nuzman foi duro com o jogador. Num seminário do COB sobre a Olimpíada de 2012, realizado na semana passada, no Rio, o dirigente afirmou que Giba foi fraco diante do fim do seu casamento e admitiu a necessidade de apoio psicológico para o atacante. ?Espero que ele se recupere como esportista, porque ele tem toda a condição para isso, e principalmente como homem, ficando longe da droga?, afirmou Nuzman.
Fonte: O Dia