Tensão no Rio; traficantes lançam bombas e fecham comércio

Rio de Janeiro – Depois de uma madrugada com ônibus e carros queimados em diversos pontos do Estado do Rio de Janeiro, traficantes lançaram bombas caseiras em prédios de luxo da Avenida Vieira Souto, em Ipanema, endereço mais caro do Rio. Em outros bairros da zona Sul, como Catete, Botafogo e Copacabana, lojas foram fechadas por ordem dos traficantes. Na zona Norte, o lugar mais atingido foi a Rua Leopoldo Bulhões, em Benfica, onde três ônibus e quatro carros foram queimados. Os bandidos impediram ainda a saída de ônibus das garagens no centro da cidade. A Polícia Militar não confirma se a ação é coordenada.

No começo da madrugada traficantes da favela Bandeira Dois, em Del Castilho, no subúrbio, incendiaram um ônibus. Horas antes um posto policial havia sido atacado por homens armados. Houve troca de tiros e um policial militar foi ferido no braço.

A estação de trem de Santa Cruz, na zona Oeste, ficou fechada por causa de um tiroteio entre policiais militares e traficantes no fim da madrugada.

Comerciantes e moradores do Rio temem que o dia de hoje repita o 30 de setembro do ano passado, quando a capital e municípios do Grande Rio viveram um dia inteiro de terror com o comérico e escolas fechados por ordem de traficantes de drogas. Um jornaleiro que trabalha há 34 anos numa banca na subida do morro Pavão-Pavãozinho, em Copacabana, zona sul, lembrou que as duas únicas vezes em que teve que parar de trabalhar foram hoje e no dia 30 de setembro de 2002.

“Fechei hoje por ‘ordens superiores’. Eu tenho medo. Quem não tem? A gente aqui está muito exposto”, disse o jonaleiro, com medo de se identificar. As lojas da rua Sá Ferreira, que dá acesso à favela, estão fechadas. A polícia Militar está no local.
Fonte: Agência Estado