Para ONU, tráfico ameaça ordem pública no Brasil

A Organização das Nações Unidas (ONU) alerta: o narcotráfico está se tornando um problema cada vez mais ligado a questões políticas e de segurança nacional na América do Sul, inclusive no Brasil. “Organizações de tráfico de droga ameaçam a ordem pública na maioria dos países da região andina e no Brasil”, afirma o Conselho Internacional de Controle de Narcóticos, que divulgou ontem seu relatório anual.

O documento aponta que a desestabilização do Estado é a conseqüência mais séria do fortalecimento da indústria da droga. A corrupção nos sistemas políticos, o financiamento de campanhas eleitorais pelo narcotráfico, o terrorismo e o crime organizado são as maiores ameaças. “Os traficantes são fortes, sobretudo em países onde as instituições do governo são fracas, como no Brasil, onde a presença do Estado não existe ou só existe em forma de repressão”, disse o representante regional do Brasil e Cone Sul das Nações Unidas, Giovanni Quaglia.

A indústria do narcotráfico também tem efeitos desestabilizadores para a sociedade. A ONU aponta que um dos sintomas da presença da indústria é o aumento do número de crimes violentos, de seqüestros, de guerras entre gangues e do desrespeito à lei.

Segundo o relatório, o maior exemplo é a Colômbia. Para Quaglia, os episódios comandados pelo tráfico no Rio podem ser explicados pela falta de políticas sociais. “Existem os bolsões de pobreza muito próximos à cidade não há a presença do Estado.”

Economia – O estudo desmistifica também a idéia de que a economia ganhe com essa indústria. A análise aponta que 99% dos ganhos vão para os traficantes; 1% fica para os produtores de drogas dos países em desenvolvimento. Em 2001, os produtores de coca e ópio arrecadaram US$ 1,1 bilhão. Enquanto isso, o consumo de cocaína nos Estados Unidos totalizou US$ 36 bilhões. O país fica com 74% dos lucros da coca e heroína produzidas na Colômbia, por exemplo. A ONU aponta que, se os países ricos ajudassem fazendeiros dos países pobres, eles não teriam motivos financeiros para plantar coca ou ópio. Segundo o estudo, os EUA gastam, por ano, US$ 33 bilhões no combate ao narcotráfico, 30 vezes mais que a renda de todos os agricultores que plantam coca e ópio.
Fonte: O Estado de S. Paulo