O mundo se une contra o cigarro

Por mais que todo mundo saiba que fumar faz mal à saúde, o consumo de tabaco ainda mata cinco milhões de pessoas por ano no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Mês passado, em Genebra, 190 países aprovaram o primeiro tratado para reduzir o consumo de tabaco. A notícia chegou às vésperas do Dia Mundial sem Tabaco, comemorado sábado passado. O documento, aprovado por unanimidade, ainda precisa ser ratificado por 40 países.

Por causa do tratado, Edmo de Lima Pereira Júnior, professor de biologia do CAp Unigranrio, aposta numa mudança de abordagem do tema tabagismo, considerado uma doença pela OMS, nas provas do vestibular. Segundo Edmo, além de questões relacionadas às doenças causadas pelo fumo — como câncer de pulmão, boca e garganta, enfisema pulmonar e problemas cardíacos — as bancas devem perguntar sobre meio ambiente e fatores socioeconômicos.

— A fumaça do cigarro, como qualquer outra, tem monóxido de carbono, o mesmo elemento que sai do escapamento dos carros e afeta a camada de ozônio — diz Edmo. — O tema é multidisciplinar. Dá subsídios para questões de biologia, química, matemática, geografia.

O Brasil presidiu as negociações em Genebra e vai lutar para que as medidas sejam adotadas. Segundo a OMS, se não forem tomadas providências, em 2020 o fumo matará dez milhões de pessoas por ano. A convenção prevê, por exemplo, proibir ou restringir a propaganda, o patrocínio e a promoção do tabaco (no Brasil já há restrição ao patrocínio de indústrias de cigarro a eventos culturais e esportivos e outras limitações na propaganda). O tratado recomenda, ainda, que 30% da superfície das embalagens dos cigarros sejam reservadas para mensagens contra o fumo. Os países também querem o aumento de impostos para produtos de tabaco.

Sand Jorge Moyses Luiz, professor de química dos colégios Ponto de Ensino, Garriga de Menezes e A. Liessin, ressalta os males do fumo:

— O cigarro tem várias substâncias, como a nicotina, que não são facilmente eliminadas, acumulando-se no organismo e causando doenças.

No Brasil, o ministro da Saúde, Humberto Costa, estuda ainda aumentar o preço do cigarro. Como o país é um dos maiores produtores de tabaco, o governo quer dar outras opções de cultivo aos produtores.

Fonte: O Globo