Cigarro é uma droga!

Rubens Szterling chegou a fumar cinco maços de cigarro por dia. Hoje, após quatro anos de abstinência e com apenas 40% da capacidade pulmonar, este médico de 53 anos se orgulha da vida ativa que leva

O cigarro começou a fazer parte de sua vida aos 16. Gradualmente, ao longo de 37 anos, o costume esporádico ficou freqüente; o freqüente se tornou sempre; e o sempre quase destruiu a vida de Rubens Szterling, médico hematólogo, que chegou a fumar cinco maços de cigarro por dia. Anos de tabagismo danificam as vias respiratórias, inclusive os pulmões, e o prejuízo pode ser permanente, segundo pneumologistas. Uma conseqüência provável é a DPOC – doença pulmonar obstrutiva crônica, como a que se desenvolveu em Rubens. “Eu tossia muito, às vezes com expectoração. Mas o pior era a falta de ar. Fiquei com 40% da minha capacidade pulmonar e isso é irreversível. Atividades simples como tomar banho, me vestir e até me pentear me deixavam completamente exausto e ofegante”, conta o médico. Sem outra alternativa, foi declarada a luta para vencer a DPOC e voltar a realizar as suas tarefas diárias. Depois de freqüentar várias sessões em clínicas de reabilitação, ele adquiriu massa muscular e pôde experimentar a sensação de bem-estar provocada pela prática regular de exercícios físicos na esteira e na bicicleta. No entanto, a sua capacidade pulmonar continuava estagnada. Tudo mudou após uma consulta com outro pneumologista
“A natação foi a minha salvação”, diz Rubens. Há quatro meses, ele nadava apenas 12 metros. Depois passou para 25 metros e foi evoluindo…Hoje, é assíduo freqüentador da piscina da unidade Morumbi, sempre com o frequencímetro (instrumento que mede os batimentos cardíacos) e o termômetro (a temperatura da água deve estar em torno de 28ºC para não haver problemas pulmonares) em mãos. “A natação contribui para minha saúde de maneira rápida, direta e atraumática, já que não há impactos nem desgastes articulares. De manhã, nado 2.000 metros, e à tarde de 1.000 a 2.000, de segunda a sexta-feira. Isso porque eles me tiram de lá à força”, afirma, dando risadas e esbanjando disposição. Além disso, Rubens pratica exercícios específicos de musculação voltados ao desenvolvimento e fortalecimento de sua caixa pulmonar e músculos toráxicos.
Hoje, recuperado e com uma qualidade de vida incomparável a outros períodos de sua vida, Rubens agradece a toda a equipe da Companhia Athletica e principalmente ao filho Fernando pelo apoio e motivação. Para aqueles que insistem no vício, ele deixa algumas palavrinhas valiosas que merecem reflexão: “Cigarro é uma droga, droga no sentido literal da palavra, como cocaína e heroína, mas com uma diferença fundamental: você é incentivado a consumi-lo”.

Fonte: Companhia Athletica Magazine – Por Vanessa Domingues / Fotos Donizetti Castilho