Goleiro australiano Bosnich admite vício em cocaína

SYDNEY – O goleiro australiano Mark Bosnich admitiu ter sido viciado em cocaína, numa entrevista ao jornal inglês News of the World, segundo informou hoje a rádio nacional ABC.

Durante a entrevista, Bosnich revelou que tinha começado a consumir 5 mil dólares australianos por semana em drogas, após ter sido suspenso pela Associação de Futebol da Inglaterra (FA).

Porém, o ex-jogador do Aston Villa, Manchester United, Chelsea e da seleção australiana (Socceroos) ressaltou que superou o problema.

A FA suspendeu Bosnich por nove meses depois que o resultado de um exame antidoping feito ao acaso deu positvo. No entanto, Bosnich diz que só começou a usar drogas depois da suspensão.

‘Até duas semanas atrás eu era um viciado a cocaína. Minha vida foi dominada pelas drogas, mas hoje posso dizer que superei uma etapa muito difícil e que estou limpo’, declarou Bosnich.

Enquanto isso, o clube inglês Portsmouth, que subiu para a primeira divisão do Campeonato Inglês, ofereceu a Bosnich a possibilidade de ele retomar sua carreira futebolística com um contrato de um ano.

Por sua vez, o técnico dos Socceroos, Frank Farina, disse à ABC que se Bosnich superou o vício, as portas da seleção australiana estão abertas para ele.

‘Se Mark começar a jogar e voltar a sua melhor forma, certamente pode ser parte da seleção nacional. Mas, certamente, isso levará tempo, já que ele deve superar vários problemas em nível esportivo e pessoal’, ressaltou Farina.

Bosnich foi considerado um dos melhores goleiros do mundo quando foi transferido do Aston Villa para o Manchester United, em 1999.

Uma série de lesões e uma relação muito ‘fria’ com o treinador do Manchester United, Alex Ferguson, o obrigou a abandonar o clube para dar continuidade a sua carreira no Chelsea.

No entanto, Bosnich só jogou sete partidas em duas temporadas pelo seu novo clube e, depois que o exame antidoping deu positivo, foi demitido pelo Chelsea e suspenso pela FA, tendo que ser internado em uma clínica após sofrer uma profunda depressão que o levou ao uso de drogas.

Fonte: Jornal do Brasil – Tempo Real