Cocaína e ecstasy causam mutação no DNA, diz estudo italiano

ROMA (Reuters) – A cocaína e o ecstasy não só provocam dependência e aumentam o risco de câncer como também provocam mutações genéticas, disseram cientistas italianos na sexta-feira.

“A cocaína e o ecstasy mostraram-se mais perigosos do que imaginávamos”, disse Giorgio Bronzetti, cientista-chefe do departamento de biotecnologia do Centro Nacional para Pesquisas (CNR).

“Essas drogas, no ápice de seus efeitos toxicológicos, atacam o DNA provocando mutações e alterando o material hereditário. Isso é muito preocupante para os efeitos que podem ter nas gerações futuras”, disse ele.

O consumo de ecstasy, droga popular nas festas conhecidas como raves, aumentou em 70 por cento entre 1995 e 2000, de acordo com um relatório da Organização das Nações Unidas publicado em setembro.

O ecstasy e as anfetaminas tomaram o lugar da cocaína e da heroína como a ameaça que mais cresce entre os narcóticos no mundo, afirmou o estudo.

O relatório do CNR, que levou mais de três anos para ficar pronto, disse que testes feitos em animais mostraram uma relação direta entre o consumo de ecstasy e de cocaína e os efeitos sobre o DNA.

“Em outras palavras, quanto maior o período de consumo da droga, maior o estrago no DNA”, disse Bronzetti.

Fonte: MSN