Belo admite que voz que falou com traficante era sua

O cantor Marcelo Pires Vieira, o Belo, 29, admitiu pela primeira vez que era sua a voz registrada numa conversa telefônica com o traficante Waldir Ferreira, o Vado. Gravada pela Polícia no Rio, a conversa foi a base da condenação do pagodeiro a oito anos de prisão, acusado de praticar os crimes de tráfico de drogas e de associação para o tráfico.

Belo, que está foragido, gravou um vídeo, divulgado ontem pela Internet, no qual afirma que negou ter conversado com Vado por orientação de seus advogados no início do processo. No vídeo, Belo afirma que, como participa de shows em comunidades carentes, não faz distinção com quem fala.

Acrescenta que pediu à Justiça para prestar um novo depoimento, o que teria sido negado. Belo mudou várias vezes de advogado durante o processo e não revelou o nome de quem o teria orientado a mentir. O cantor foi condenado a seis anos de prisão no primeiro julgamento.

Na semana passada, a Oitava Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro aumentou a pena para oito anos. ‘Estou sendo condenado a oito anos por um crime que não cometi. Não acharam drogas, armas, dinheiro, não acharam nada. Estou condenado porque atendi a um telefonema que fizeram para minha casa’ – afirma Belo no vídeo.

A gravação feita pela Polícia mostra que, na conversa com Belo, Vado pede R$ 11 mil para comprar o que chama de ‘tecido fino’, que seria, segundo policiais, uma gíria para cocaína. Belo pediria em troca um ‘tênis AR’, que seria, ainda de acordo com a Polícia, um fuzil AR-15.

O atual advogado do cantor, Humberto Teles, confirmou que o cliente tentou prestar novo depoimento na véspera do último julgamento, mas os desembargadores teriam negado o pedido. Segundo ele, o vídeo e a nova versão para os fatos ajudarão na defesa de Belo.

Belo prestou depoimento na Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) no dia 7 de maio do ano passado. Seu advogado na época era Sylvio Guerra. A defesa atual está preparando um habeas corpus pedindo que Belo aguarde em liberdade a apreciação dos recursos contra a condenação. O habeas corpus deve seguir hoje para o Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Serão apresentados recursos no STJ e no Supremo Tribunal Federal (STF), segundo o advogado, que aguarda a publicação da sentença do TJ do Rio no Diário Oficial, o que só deve ocorrer em fevereiro, após o final do recesso do Judiciário.

Fonte: O Povo