Cocaína e ecstasy geram mutações genéticas

A cocaína e o ecstasy não só causam a dependência e aumentam o risco de desenvolver câncer como também provocam mutações genéticas, disseram cientistas italianos.

“A cocaína e o ecstasy têm demonstrado ser mais perigosos do que se imaginava”, disse Giorgio Bronzetti, cientista do departamento de biotecnologia do Centro Nacional de Investigações (CNI) de Itália.

“Essas drogas, além de seus efeitos toxicológicos, afeta o DNA provocando mutações e alterando o material genético. Isso é muito preocupante, pelos efeitos que poderia ter as gerações futuras”, disse Giorgio.

O uso de ecstasy, uma droga muito popular em festas e boates, aumentou em 70%, entre 1995 e 2000, segundo pesquisas das Nações Unidas, publicada em setembro.

O ecstasy e as anfetaminas vêm substituindo a cocaína e a heroína e é a principal ameaça de drogas ilícitas em escala mundial, observou o estudo.

A pesquisa do CNI, que demorou mais de três anos para completar, verificou que testes em animais têm demonstrado uma relação direta entre o consumo de ecstasy e cocaína e os efeitos sobre o DNA.

“Em outras palavras, quanto mais tempo se consomem essas drogas, maior o dano ao DNA”, diz Bronzetti.
Fonte: OBID