Aumento do plantio da papoula ameaça reconstrução do Afeganistão

As plantações de papoula no Afeganistão se estenderam nos últimos anos, constituindo um crescente problema internacional e para o país, depois da redução registrada pouco antes da última guerra.

O relatório da Junta de Fiscalização de Entorpecentes (Jife) de 2003, apresentado hoje, terça-feira, destaca que os progressos na reconstrução política e administrativa do país, inclusive a luta contra o terrorismo, estão ameaçados por este fato.

Na Ásia ocidental, as drogas, incluindo a corrupção vinculada a elas, escava a estabilidade econômica e põe em perigo a paz e a segurança da região, destaca o relatório.

No Afeganistão, após alcançar seu nível mais baixo em 2001, pela proibição do talibã, o cultivo da papoula aumentou.

A Jife lembra que no Afeganistão se aprovou uma lei de fiscalização de drogas que resta ser posta em prática mediante a capacitação das autoridades judiciais especialmente fora de Cabul.

A Junta observou com preocupação que o compromisso político expressado pelas autoridades afegãs não chega a sortir o efeito desejado pela falta de controle nacional e o apoio insuficiente ou até a oposição de parte das autoridades provinciais.

Ao mesmo tempo, as apreensões de opiáceos, principalmente heroína e morfina, aumentaram em toda a região, e também parece haver-se intensificado o grau de pureza da heroína.

No Afeganistão continua havendo instalações para elaborar ópio e os precursores químicos utilizados na fabricação entram pelas mesmas rotas pelas quais se faz o contrabando de opiáceos.

Fonte: Último Segundo