EUA planejam aumentar número de militares na Colômbia

da France Presse, em Bogotá

O governo de George W. Bush pediu ao Congresso americano que autorize o aumento do número de militares (de 400 para 800) que podem operar na Colômbia, informaram autoridades diplomáticas.

Funcionários do Pentágono e do Departamento do Estado iniciaram uma série de consultas às comissões da Câmara e do Senado americano sobre os limites máximos permitidos, atualmente de 400 militares, segundo o embaixador de Bogotá em Washington, Luis Alberto Moreno.

Em declarações a rádios e jornais colombianos, Moreno disse estar de acordo com a iniciativa, mesmo que não seja o governo colombiano quem esteja buscando a modificação.

“Há dez dias estão fazendo consultas em diversas comissões do Congresso. Nós, o governo colombiano, não estamos buscando mudar o limite, mas, obviamente, queremos que a cooperação entre os dois países seja a maior possível”, declarou Moreno.

“Se eles acham que precisam de cinco ou dez, é uma decisão deles. Concordamos que se necessita de uma revisão do limite, para permitir que a ajuda que nos dão se adapte às condições específicas que o país precisa”, disse.

O limite de americanos destacados para apoiar o Plano Colômbia de luta contra as drogas, que também combate os grupos armados ilegais, foi estabelecido pelo Congresso em 2000. A lei, entretanto, deixou aberta mecanismos para que o presidente Bush aumentasse o número em casos especiais.

A iniciativa do governo americano foi revelada hoje, ao mesmo tempo que o presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, planeja uma visita a Washington para pedir que aumente a ajuda dos Estados Unidos contra o narcotráfico e a grupos ilegais.

Uribe irá solicitar que se prorrogue por mais quatro anos o Plano Colômbia, que termina em setembro de 2005.
Fonte:Folha Online