A indústria que mais cresce no mundo

Dados oficiais dão conta de que a indústria que mais cresce no mundo é a de lazer e entretenimento. Será esse, na opinião de muitos analistas abalizados, o setor que seguramente mais vai empregar e girar dinheiro no próximo século. Isso me leva a uma reflexão: como cidadão, pai de família e empresário, fico me perguntando para quem será direcionada essa indústria do lazer se as autoridades continuarem a tratar a questão das drogas no mundo como algo passível de ser convivido.

Não é novidade para ninguém que a produção e a comercialização de drogas movimentam mais dinheiro que as indústrias de petróleo, armamentos e informática. É um dinheiro que circula livremente pelo mundo, proveniente de um comércio sujo que deprime, desanca e destrói. Deprime o drogadependente e sua família, desanca a postura fácil e eleitoreira dos que defendem sua liberalização, destrói lares, pessoas, relacionamentos e futuros.

Varrer o problema para debaixo do tapete é a ação mais comum que se vê. Mas o calombo que se forma por baixo desse tapete social é tão grande que não há mais como fingir não o ver. Portanto, é preciso enfrentá-lo e quaisquer meios que se possam lançar mão para isso são dignos de nota. É nesse painel que “droga & Família” pretende lançar suas tintas. E que tintas são essas que trazemos em nossa paleta? São as tintas da experiência de quem já travou viva luta contra as drogas e venceu.

Há alguns anos, quase perdi meu filho para as drogas. No desespero de prendê-lo a mim a todo custo, na tentativa de evitar que o abraço mortal da droga mais o sufocasse, cheguei a partilhar noitadas coom ele. Procurei auxílio onde foi possível, com quem foi possível, mas somente quando ele dicidiu livrar-se das drogas é que conseguimos encontrar o caminho da solução. Hoje, ele é outra pessoa. Hoje ele é, aliás, a pessoa que sempre foi e deixou de ser, por um tempo, por causa das drogas.

Nós tivemos sorte. Mas quantos outros pais e usuários de drogas não tiveram? É justamente para auxiliar essas pessoas que a revista “droga & Família” está chegando ao mercado. Pretendemos torná-la uma espécie de farol, iluminando o caminho escuro daqueles que se encontram perdidos nesse flagelo do século XX, que são as drogas. Forneceremos o maior número de informações possíveis, no sentido de que as pessoas possam buscar auxílio e se informarem melhor a respeito do tema.

Recursos terapêuticos de ponta estão sendo canalizados para a debelação dos estragos biológicos e emocionais promovidos pelas drogas. Entretanto, acredito que só isso não basta. É imprecindível um apoio espiritual, seja qual for a religião que se cultue. Na minha experiência, vi que é preciso buscar nos depósitos da alma aquele tênue fio de esperança que somente Deus, a meu ver, pode nos dar. Portanto, não entendíamos a revista sem essa fundamental participação.

A revista “droga & Família” chega ao público imbuída de um espírito maior de colaboração e apoio. Iremos até onde for possível (contemplando o impossível, se necessário), a fim de que soluções de fato sejam encontradas para a questão da comercialização e uso de drogas. Somente uma juventudo sadia, embasada em laços familiares bem constituídos pode usufruir da indústria que mais cresce no mundo. Buscar o prazer no parque é muito melhor do que encontrar a morte no crack.

Carlos Roberto Rodrigues
Presidente da ABRAFAM