Como ajudar um dependente

Se alguém que você gosta tem alguma dependência, não se desespere.

Sempre há solução!

Pesquisas mostram que a maioria das pessoas que iniciaram o uso de drogas na adolescência possuem algum tipo de desajuste familiar.

Desde pais ausentes ou separados, até pais muito castradores, dominadores que não respeitam a vontade e a personalidade
do próprio filho ou pais com dinheiro que para suprir sua falta enchem seus filhos de dinheiro.

A forma de educar uma pessoa contra o uso de drogas é muito discutido e também complexo, pois limitar a vida de um jovem, controlá-lo excessivamente na tentativa de evitar que ele faça uso de algum tipo de droga pode aguçar sua curiosidade, levando-o realmente à experiência e talvez a dependência.

Este tipo de dependente pode vir a sofrer graves conseqüências, pois ao fazer o uso de alguma droga, correrá o risco de ser socialmente punido.

Nesse complexo assunto, o que resta aos pais é a abertura ao diálogo, não um diálogo que tenha início na adolescência, mas sim no decorrer do desenvolvimento da vida, um diálogo que dê noções claras de que existe limite para tudo. Afinal, na porta da escola pode ter um traficante esperando pelo seu filho.

Não se esqueça que diálogo é para falar e escutar, isso não é um monólogo.

Em primeiro lugar, a pessoa tem que ser criada com muito diálogo, jogo aberto, instrução sem repressão. A família tem que se informar.

Em vez de recriminar lembre-se que isso não é um crime, mas um problema a ser resolvido. A família deve ler e instruir o dependente com reportagens de jornais e revistas ou até mesmo levando-o a alguma clinica de recuperação para ele ver de perto como é o problema de quem já se envolveu.

Existem alguns passos que você deve seguir para não piorar a situação de um dependente:

Não conte para a pessoa que você descobriu o que está acontecendo; aguarde até você saber com o que está lidando para então começar a ajudá-la.
Saiba que dependência química é uma doença, seja ela álcool, maconha, cocaína, cigarro, etc.
Para cada tipo de dependência existe uma forma diferente de tratamento, mas todas se baseiam em um só princípio: Abandonar a droga.
Fonte: BOL