Quatro detidos por vender cocaína que matou o ciclista Pantani

Quatro pessoas foram detidas nesta sexta-feira, acusadas da venda da cocaína que causou a morte por overdose do ciclista italiano Marco Pantani há três meses.

As detenções foram feitas por agentes da Chefia de Polícia de Rimini por ordem da juíza Lorena Mussoni, a pedido do procurador Paolo Gengarelli.

As investigações foram baseadas nos cartões telefônicos achados com Pantani e nos telefonemas que fez com o telefone fixo do quarto do hotel residência ‘Le Rose’ de Rimini, no litoral adriático, onde estava quando foi achado morto.

O drama aconteceu por volta das 11h de 14 de fevereiro, quando o ciclista impediu de maneira grosseira que uma garçonete entrasse em seu quarto, e às 20h30 desse mesmo dia, quando um porteiro do hotel entrou em seu quarto e encontrou o corpo.

A Polícia achou junto com o corpo restos de cocaína, vários remédios e algumas folhas de papel com escritos do ‘Pirata’, que continham frases aparentemente desconexas, indicativas, segundo os investigadores, de um alterado estado de ânimo.

Depois da autópsia e da correspondente análise toxicológica, o forense determinou que a morte de Pantani foi com uma overdose de cocaína, que causou um edema pulmonar e cerebral.

O campeão italiano consumia cocaína há muito tempo, como relatou recentemente sua ex-namorada Cristina Jonsson, imerso no estado depressivo causado pelas acusações de doping que o perseguiram até seus últimos dias.
Fonte: Jornal do Brasil