Pesquista constata amplo apoio dos britânicos a lei antitabaco

A maioria dos britânicos apóia a proibição total de fumar em lugares públicos, como a adotada em abril na Irlanda, constatou uma pesquisa divulgada no Reino Unido hoje.

Feita pelo instituto Mintel com 1.500 adultos, a pesquisa indica que 52 por cento dos britânicos são favoráveis à proibição do cigarro em restaurantes, pubs e escritórios.

Segundo o levantamento, 33 por cento dos fumantes do Reino Unido também apóiam a medida. Amanda Lintott, analista de consumo do Mintel, destacou que o fato de uma proporção significativa dos fumantes apoiarem a proibição evidencia “a consciência da cidadania” britânica sobre esse problema.

Os fumantes do país “estão conscientes de que o hábito não é só prejudicial para sua saúde, mas também para as pessoas a seu redor”, acrescentou Lintott.

A pesquisa foi divulgada depois que o Imperial College de Londres, uma das principais universidades britânicas, publicara na semana passada um estudo segundo o qual centenas de fumantes passivos britânicos morrem anualmente.

Além disso, a Associação Médica Britânica, o Colégio de Enfermeiras e o principal assessor médico do governo do país, Liam Donaldson, pediram ao primeiro-ministro Tony Blair que torne ilegal o consumo de tabaco em lugares públicos.

Ian Willmore, responsável pelo grupo antitabaco “Action on Smoking and Health” (ASH), disse que a enquete do Mintel é mais uma prova de que a opinião pública quer medidas sobre os riscos dos fumantes passivos.

Na opinião de Willmore, a eliminação da fumaça nos escritórios “salvaria cerca de 700 pessoas por ano no Reino Unido”. Já Simon Clark, diretor da organização “Forest”, que defende os direitos dos fumantes, reconheceu que “a maioria das pesquisas independentes sugerem que uma grande maioria apóia as restrições do ato de fumar”. No entanto, acrescentou Clark, “apenas uma minoria apóia a proibição total em pubs e restaurantes”.
Fonte: Último Segundo