Ciro notificado por fumar em local proibido

No mesmo dia em que o PPS divulgou nota oficial cobrando aumento maior para o salário mínimo e a correção da tabela do Imposto de Renda Pessoa Física, o ministro Ciro Gomes (Integração Nacional) passou por constrangimento público. Ele foi notificado ontem pela Vigilância Sanitária do Distrito Federal por fumar em recinto fechado. Lei federal de 1996 proíbe o fumo em qualquer local fechado, público ou privado. Ciro participava de audiência pública na Comissão da Amazônia quando foi flagrado pelos fiscais.

Após quase quatro horas de reunião, Ciro pediu permissão para fumar ao presidente da comissão, deputado Júnior Betão (PPS-AC), que autorizou. O ministro acendeu o cigarro, mas, quando foi avisado da proibição, apagou-o. Uma das fiscais viu a cena e tentou notificá-lo, mas foi impedida por uma assessora. Houve bate-boca e a fiscal ameaçou autuá-la por desacato. Como a fiscal foi autuar a assessora, a coordenadora do Programa de Tabagismo da Secretaria de Saúde do DF, Mônica Mulser Parada, aguardou o fim da reunião para notificar Ciro, o que foi feito quando o ministro deixou a sala da comissão.

Sobre o comunicado do partido, Ciro evitou comentar. Mas, sem nominar, desqualificou algumas críticas feitas ao Executivo. Sou ministro do governo Lula. Não sirvo a dois senhores, disse, ressaltando que está no cargo em acordo com a legenda. Eu tenho limites éticos e as minhas opiniões, eventualmente, são antagônicas a este ou aquele rumo do governo, a esta ou àquela decisão do governo. Agora, o partido é autônomo. Pode dizer o que quiser.
Fonte: O Popular