Colômbia expropria bens de traficante avaliados em US$ 1,8 mi

A Colômbia expropriou na quarta-feira 49 bens do ex-traficante do antigo Cartel de Cali Helmer “Pacho” Herrera, avaliados em 1,8 milhão de dólares. A Justiça colombiana também investiga a procedência do dinheiro com que Herrera adquiriu outros mil imóveis.

Herrera foi assassinado em novembro de 1998, em uma prisão de segurança máxima na Colômbia, onde cumpria pena pelos crimes de tráfico de drogas, formação de quadrilha e enriquecimento ilícito.

“A justiça demora, mas chega, hoje anunciamos a expropriação de apenas 49 bens, mas continua o processo sobre, pelo menos, outros mil imóveis de propriedade do senhor Herrera”, disse em entrevista coletiva o diretor nacional de luta contra às drogas, Luis Alfonso Plazas.

O ex-traficante foi um dos principais chefes do Cartel de Cali, organização que em seu apogeu controlou cerca de 80 por cento do mercado mundial de cocaína.

As propriedades que passaram ao controle definitivo do Estado são, em sua maioria, casas e apartamentos de luxo e lotes em Cali, capital do departamento (Estado) de Valle del Cauca, 250 quilômetros a sudoeste de Bogotá.

A expropriação de bens, junto com a extradição, são os principais instrumentos do combate ao narcotráfico na Colômbia.

Com mais de 40 milhões de habitantes, a Colômbia é considerada o maior produtor mundial de cocaína, com cerca de 580 toneladas da droga por ano.
Fonte: Yahoo Brasil