Assassinada ex-detenta envolvida com drogas

A ex-detenta Florice Lima do Carmo, 21 anos, mais conhecida como “Leca”, que respondia a processos por tráfico de drogas, porte ilegal de arma e formação de quadrilha, foi executada anteontem à tarde, próximo de sua residência, na invasão do Marotinho, bairro da Fazenda Grande

Seus algozes foram dois homens que fugiram a pé, sem deixar pistas para a polícia. O crime teve inquérito instaurado na 4ª Delegacia (São Caetano). O corpo da vítima foi sepultado no final da tarde de ontem, no Cemitério de Quintas dos Lázaros.

O crime ocorreu por volta de 16h30, momento em que a vítima andava sozinha pela Rua Direta do Marotinho. Testemunhas contaram ao delegado Roberto Dias Alves, plantonista da 4ª DP, que a dupla andou ao encontro da ex-detenta como se fossem meros transeuntes. A curta distância, um deles sacou o revólver e efetuou alguns disparos, fugindo em disparada. Os populares Leandro Marcelo da Silva e Daniela Nascimento a levaram para o Hospital Ernesto Simões Filho (HESF), no bairro do Pau Miúdo, em uma Pampa, mas ela já chegou sem vida.

Ontem, Cristiano Lima do Carmo, irmão da vítima, retirou o corpo de “Leca” no Instituto Médico-Legal Nina Rodrigues (IMLNR), para o sepultamento. Ele nada quis declarar sobre o crime, nem sobre a conduta da irmã.

“Leca” foi detida por policiais do Grupo Especial de Repressão a Roubos a Coletivos (GERRC) no dia 7 de março deste ano, junto com Juthay Santos de Jesus, 23, e Israel Teixeira de Souza, 24. Os três estavam em uma casa na Rua Teotônio Vilela, 58-B, bairro de Fazenda Coutos, com cerca de 350g de crack, meio quilo de maconha, dois revólveres calibre 38, coletes à prova de balas, capuzes tipo brucutu, munição calibre 380 e maricas de madeira e osso (cachimbos artesanais para uso de crack).
Fonte: Correio da Bahia