UNODC Inaugura biblioteca especializada em drogas e crime

Com um acervo de aproximadamente três mil títulos, será inaugurada em Brasília, nesta quinta-feira (dia 24/06), às 17hs, a Biblioteca Paulo Junqueira, do Escritório das Nações Unidas contra Drogas e Crime (UNODC). Seus livros, periódicos, relatórios e material audiovisual formam um acervo especializado nos temas de atuação do UNODC e pode ser considerada uma das maiores do país na área de drogas e crime.

Além dos títulos relacionados a esta temática, a biblioteca possui publicações sobre HIV/Aids, direitos humanos, terrorismo, lavagem de dinheiro, desenvolvimento sócio-econômico e cooperação internacional. O acervo também possui diferentes convenções da ONU voltados para o enfrentamento das drogas e do crime organizado internacional.

A inauguração da biblioteca integra o calendário da VI Semana Nacional Antidrogas, realizada pela Secretaria Nacional Antidrogas (SENAD) do Gabinete de Segurança Instituticonal da Presidência da República.

A biblioteca Paulo Junqueira está localizada na sede do UNODC, que fica no Anexo I do Ministério da Justiça, em Brasília (DF). Ela estará aberta ao público duas vezes por semana: terça e sexta-feira, sempre das 9hs às 12hs. Terão prioridade estudantes, pesquisadores, jornalistas e funcionários do Sistema ONU no Brasil. As visitas ao acervo devem ser previamente agendadas pelo telefone (61) 321-1377. Os títulos da biblioteca podem ser consultados pela Internet, no endereço http://www.unodc.org.br

O nome da biblioteca é uma homenagem ao filósofo e educador Paulo Junqueira, assessor técnico do Escritório das Nações Unidas contra Drogas e Crime (UNODC) na área de prevenção ao HIV/Aids associado ao uso de drogas. Falecido no final do ano passado, ele era formado em filosofia pela Universidade de São Paulo e especializado em educação e projetos sociais pelas universidades de Genebra (Suíça) e Sorbonne (França). Paulo Junqueira dedicou-se aos estudos sobre drogas e aids nos Estados Unidos e aplicou seus conhecimentos em trabalhos desenvolvidos no Serviço Nacional do Comércio, na FEBEM de São Paulo e no Programa Nacional de DST/Aids do Ministério da Saúde. No UNODC, ele trabalhou durante o ano de 2003.
Fonte: UNODC