Recordista acusado de doping

Autoridades da Agência Americana Antidoping (Usada) acreditam que o americano Tim Montgomery, recordista mundial dos 100m rasos, pode ter tomado um coquetel de substâncias proibidas que incluiria hormônio de crescimento e cinco tipos de esteróides. A acusação veio à tona numa reportagem do jornal americano Los Angeles Times, que diz que o velocista teria começado a se dopar em 2000, dois anos antes de estabelecer o recorde da prova mais nobre do atletismo em 9s78.

Montgomery reagiu negando a acusação.

A verdade vai prevalecer – disse ele, que é o namorado de Marion Jones, velocista americana que ganhou três medalhas de ouro na Olimpíada de Sydney-2000 e que também convive com suspeita de doping.

A desconfiança da Usada, exposta ao atleta por escrito num relatório de nove páginas, se baseia em declarações dadas por Victor Conte, proprietário do laboratório Balco, da Califórnia, tido como a fonte do desenvolvimento do esteróide tetrahidrogestrinona (THG). Conte foi acusado de tráfico de doping e deu o nome de muitos atletas supostamente envolvidos com venda ou uso de substâncias proibidas, em um acordo que o beneficiaria em seu próprio julgamento.

Se a Usada confirmar Montgomery culpado, o atleta não disputará a Olimpíada de Atenas, salvo decisão em contrário da Corte de Arbitragem do Esporte, instância máxima de julgamento.
Fonte: JB