Operação irá buscar armas e drogas em escolas da cidade

A violência e o uso de drogas nas escolas de Novo Hamburgo são o alvo da Operação Escola, reativada pela Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Segurança (Semtras), e que terá as ações iniciadas a partir da próxima semana, com avaliação da situação em cada estabelecimento. A ação de traficantes nas proximidades das escolas também preocupa as autoridades. Os detalhes da operação, que também pretende recolher armas nas escolas, foram definidos em reunião realizada no início da tarde de ontem, no Gabinete do Prefeito, no Centro Administrativo Leopoldo Petry.

Serão realizadas visitas surpresas às escolas, em ações conjuntas da Brigada Militar (BM), Guarda Municipal e Conselho Tutelar. Além de palestras sobre os temas, alunos serão revistados em busca de drogas e armas. O encontro serviu para definir a realização de um levantamento sobre as escolas com o maior índice de ocorrências relacionadas à violência e ao abuso de entorpecentes. Da mesma forma, em caso de suspeita da ação de traficantes nas proximidades das escolas, a BM será acionada para realizar a abordagem dos suspeitos.

?É um trabalho que iniciamos há três anos nas escolas municipais e que agora será retomado com maior abrangência, procurando atingir todas as escolas da cidade?, salienta o titular da Semtras, Moacir Yllana. De acordo com Yllana, algumas escolas apresentam problemas mais graves. Em alguns casos, os alunos são ameaçados por colegas. ?Recebemos telefonemas de pais que, assustados com a situação, pensam em tirar os filhos da escola. É preciso reverter este quadro.?

COMUNICADO – O juiz titular da Vara da Infância e da Juventude, Joel Scheva, que participou da reunião de ontem, irá encaminhar uma circular para as instituições de ensino do Município para comunicar as direções das escolas sobre o início das operações. ?Não adianta apenas o trabalho policial da Brigada Militar e da Guarda Municipal. É preciso contar com a participação do Conselho Tutelar e da própria Vara da Infância e da Juventude para que haja um encaminhamento adequado aos jovens envolvidos com drogas e armas?, aponta Scheva.

A freqüência das operações, salienta o comandante do 3.º Batalhão de Polícia Militar (3.º BPM) de Novo Hamburgo, tenente-coronel Luiz Felipe Marques Seadi, que também esteve no encontro, ainda não está definida. ?O mais importante é que o trabalho será realizado de forma surpresa nas escolas.? O Conselho Tutelar será responsável pelo encaminhamento aos adolescentes flagrados com drogas ou armas nas escolas.

Também participaram da reunião o chefe de gabinete, Ronaldo Estrada, o sub-comandante do 3.º BPM, major Carlos Magno Oliveira, a procuradora do Conselho Tutelar, Cristiane Zottmann, o comandante da Guarda Municipal, Sandro Salazar, e o sub-comandante da Guarda, Filipe Nunes Ferreira.
Fonte: Jornal NH