185 milhões consumiram drogas no último ano, diz ONU

Cerca de 185 milhões de pessoas em todo o mundo consumiram drogas durante os últimos 12 meses, o que equivale a 3% da população mundial.

Deste grupo, 146,2 milhões usaram maconha, pelo menos uma vez neste período.

Ao dados foram divulgados pelo escritório das Nações Unidas contra Drogas e Crimes e fazem parte de um relatório da organização.

No Brasil, cerca de 1,7 milhão de brasileiros (1% da população) consumiram maconha ou haxixe em 2001.

Neste mesmo período, segundo os dados apresentados nesta sexta-feira, 0,3% da população brasileira consumiu algum tipo de anfetamina do tipo estimulante e 0,4% fez uso de cocaína.

Se for levado em conta a população entre 15 e 64 anos a porcentagem de pessoas consumindo drogas em todo mundo sobe para 4,7% da população.

Consumo de maconha ou haxixe (em % da população)
Austrália – 15%
EUA – 11%
Grã-Bretanha – 10,6%
Espanha – 9,7%
África do Sul – 8,4%
Holanda – 6,1%
Chile – 5,2%
Argentina – 3,7%
Paraguai – 1,8%
Uruguai – 1,5%
Brasil – 1%
México – 0,6%
Dados fornecidos pelos países

O relatório faz um balanço do consumo de drogas ilícitas em todo o mundo durante os últimos 12 meses.

Um grupo 13 milhões consumiu cocaína em todo mundo. Outros 15 milhões fizeram uso de drogas como heroína, morfina e ópio, de acordo com o levantamento apresentado.

As anfetaminas tipo estimulantes foram consumidas por 38 milhões de pessoas. Neste grupo, 8 milhões fizeram uso de exctasy.

Consumo médio

Segundo Giovani Guaglia, representante regional para Brasil e Cone Sul do escritório da ONU contra Drogas e Crimes, as autoridades brasileiras precisam ficar atentas ao problema, apesar de o Brasil estar no grupo de países considerado de consumo médio.

“O Brasil é um país, em termos gerais de consumo, que teve um crescimento nos últimos anos, mas é considerado mundialmente de porte médio. Mas fazemos um alerta: o momento ideal para se fazer um bom trabalho de prevenção é hoje”, explicou Guaglia.

“Para cada dólar utilizado na prevenção e tratamento, isso significa a economia de US$ 5 no futuro, em gastos com problemas causados pelas drogas como segurança, processos judiciários, entre outros”, declarou.

Consumo de cocaína (em % da população)
Espanha – 2,6%
Austrália – 2,5%
EUA – 2,5%
Grã-Bretanha – 2,1%
Argentina – 1,9%
Chile – 1,6%
Holanda- 1,1%
África do Sul – 0,8%
Uruguai – 0,6%
Paraguai – 0,6%
México – 0,4%
Brasil – 0,4%
Dados fornecidos pelos paises

Guaglia também falou que, apesar do consumo não ser considerado alto em países latino-americanos, o mercado é considerado potencial.

“O Brasil e os demais países da América Latina, apesar de estar no grupo de países de consumo médio, são de grande potencial de consumo. Porque tratam de países como uma grande população jovem”, explicou.

“O traficante é como qualquer homem de negócio, ele procura os mercados de maior oportunidade. Os países desenvolvidos, já estão relativamente saturados. Então, para eles, a América Latina pode ser o mercado do futuro”, concluiu.
Fonte: BBC Brasil