Seleção proíbe chá de coca no Peru

O tradicional chá de folhas de coca está proibido na seleção brasileira durante a disputa da Copa América, no Peru.

Para evitar ter um novo “caso Zetti”, o técnico Carlos Alberto Parreira decidiu vetar a bebida. O chá é recomendado pelos peruanos aos estrangeiros para minimizar os efeitos da altitude.

“Isso já deu muito galho. Não vamos usar de jeito nenhum”, disse Parreira, que embarcaria na noite de hoje junto com os outros integrantes da delegação para Arequipa, local dos três primeiros jogos da seleção na competição.

A cidade peruana está cerca de 2.335 m acima do nível do mar. Em 1993, a seleção se envolveu num escândalo de doping nas eliminatórias da Copa dos EUA. Na ocasião, foi detectada a presença de derivados de cocaína na urina do goleiro Zetti após a derrota do time nacional para a Bolívia, por 2 a 0, em La Paz. O ex-jogador do São Paulo foi suspenso pela Fifa.

Depois, a CBF conseguiu a absolvição de Zetti ao alegar que o atleta ingeriu trimate, um chá feito de folhas de três ervas, entre elas coca. A equipe também era comandada por Parreira.

Bastante popular no Peru e na Bolívia, o chá de folhas de coca tem um efeito restaurador.

Em Arequipa, quase todos os hotéis têm à disposição saquinhos do chá. Além de ter alertado aos jogadores sobre a proibição ao consumo da bebida local, a comissão técnica pediu aos administradores do hotel para os pacotinhos do chá serem recolhidos dos quartos dos atletas.

Os médicos da seleção já planejaram uma alimentação especial para os jogadores nos primeiros dias em Arequipa. “Eles vão ter que comer uma comida mais leve. Vamos evitar gorduras e comidas de difícil digestão”, declarou o médico Rodrigo Lasmar.

Parreira reconheceu hoje que a seleção não se preparou adequadamente para se adaptar à altitude de Arequipa.

“Todos os estudos dizem que para corresponder bem na altitude os atletas têm que chegar na cidade com mais de uma semana de antecedência ou poucas horas antes do início da partida. Neste segundo caso, o time tem que deixar o local logo após o jogo. Como não tivemos tempo suficiente para chegar lá antes, tenho consciência de que vamos sofrer nos dois primeiros jogos”, disse o técnico, que confirmou o goleiro Júlio César no time titular.

O jogador do Flamengo se apresentaria à noite ao treinador. Ele e o meia Felipe foram liberados pela comissão técnica para participar da final da Copa do Brasil.

A estréia do time brasileiro na Copa América, diante do Chile, está marcada para quinta-feira.
Fonte: Folha