Morte de mulheres pode ser acerto de contas

Acerto de contas envolvendo drogas. Esta é a principal linha de investigação que a Delegacia de Homicídios de Santo André trabalha sobre os assassinatos de Maria Luzani dos Santos, 38 anos, e Josiane Batista, 18. As duas foram encontradas mortas a tiros na madrugada de terça-feira no Parque do Guaraciaba.
Maria e Josiane moravam no Jardim São Camilo, um bairro pobre de Jundiaí e, segundo a polícia, um dos principais focos de tráfico de drogas na cidade. Maria já havia cumprido pena por roubo por cinco anos, em 1990. Familiares das vítimas negam que elas tivessem ligação com o tráfico.

Maria era separada há um ano e meio e tinha dois filhos, de 9 e 10 anos. ?Não sei o que aconteceu. Ela era uma boa mãe, zelosa e não brigava com ninguém?, disse o ex-marido, Paulo Almeida. ?Não tenho idéia do motivo do crime?, disse o irmão, o eletricista José Lourenço.

?Josiane costumava passar uns dias na minha casa. Era uma boa garota e todo mundo gostava dela?, disse a tia Fátima Batista. Josiane fazia trabalhos esporádicos como doméstica.

As duas tiveram os olhos arrancados. Nesta quarta, os peritos do IML (Instituto Médico-Legal) disseram que eles devem ter sido arrancados por urubus e as faces dilaceradas por ratos.
Fonte: BOL