Bandidos invadem barraco e executam usuária de drogas

A vendedora de folhas e usuária de drogas Gleidilene Damasceno da Silva, 27 anos, foi executada anteontem à noite, no subúrbio de Mapele, no interior do barraco em que residia com familiares

Os motivos do crime e a identidade dos três autores do assassinato são desconhecidos. À frente das investigações, a delegada Jacira do Nascimento, titular da 8ª Delegacia (CIA), diz existir indícios de que a morte tenha relação com a tentativa de homicídio sofrida horas antes pelo ex-cunhado da vítima, o acusado de crimes contra o patrimônio Paulo Oliveira dos Santos,32.

O assassinato aconteceu por volta das 23h, quando Gleidilene, a irmã dela, Lucilene Damasceno da Silva, 26, e seus três filhos se preparavam para dormir. A vítima ouviu passos do lado de fora do barraco e perguntou quem era. Como resposta, foram disparados vários tiros. Assustadas, as mulheres acenderam as luzes, mas, segundos depois, a fiação foi cortada pelos recém-chegados.

Lucilene conseguiu fugir com dois dos seus filhos pelos fundos, mas a irmã acabou morta, pouco depois de os assassinos expulsarem seu sobrinho de apenas 7 anos. O menino estava a um canto do barraco, em pânico, agarrado à tia. Antes de fugirem, os bandidos destruíram a casa e queimaram a única cama, onde a família costumava se amontoar para passar as noites.

O corpo da moça vai ser submetido a exames que definirão se ela sofreu alguma violência sexual. Sem condições de descrever pormenores do crime, Lucilene supõe que a ação tenha durado em torno de 10min. “Depois que eu deixei a casa, fui me esconder na casa de uma vizinha, por isso eu não sei os detalhes”, justificou a irmã.

Suspeitas- A polícia acredita que o atentado contra a vida do ex-marido de Lucilene, no último domingo, tenha alguma relação com a morte da jovem. Paulo Oliveira dos Santos, que estava com prisão preventiva decretada, foi baleado por volta das 12h, por um homem cuja identidade não foi revelada. A vítima foi socorrida para o Hospital Geral do Estado (HGE), submetida a uma cirurgia e recebeu alta ontem pela manhã.

Paulo se apresentou ontem mesmo à 8ª DP e ficou detido por furtos e assaltos no subúrbio de Mapele. Segundo hipótese levantada por agentes da unidade, os bandidos que tentaram matá-lo teriam retornado à noite e, por não encontrá-lo, resolveram executar alguém ligado a ele. Como a ex-mulher fugiu, optaram pela irmã dela. Gleidilene, de acordo com a família, era usuária de crack e maconha.
Fonte: Correio da Bahia