Rio determina apreensão de anabolizantes

A Secretaria da Saúde do Rio determinou, nesta terça-feira, a apreensão de dois lotes de anabolizantes comercializados na cidade.

Os esteróides proibidos são o Hemogenin, comprimidos, lote 88, fabricado pelo laboratório Aventis Pharma, em São Paulo, e o Nandrolone Decanote/Norma-Oily, injetável, 200 mg/2ml, produzido pela Norma Hellas, na Grécia.

Segundo o governo do Estado, o trabalho de apreensão cabe às vigilâncias sanitárias municipais.

A secretaria diz que determinou a apreensão do lote do esteróide Hemogenin porque o fabricante disse que o lote 88 não existe, ou seja, é falsificado. No caso do Nandrolone Decanote, a apreensão vale para todos os lotes, já que, segundo a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o produto não tem registro no país.

Segundo o governo do Rio, há no Estado uma rede de tráfico de anabolizantes, que, como qualquer outro medicamento, só deve ser vendido com prescrição médica. Embora sejam indicados no tratamento de doenças da medula, como a anemia (deficiência na produção de glóbulos vermelhos do sangue), os anabolizantes são usados por esportistas devido a alguns de seus efeitos colaterais, entre os quais a virilização, com o aumento da massa muscular.

De acordo com o HemoRio (Instituto Estadual de Hematologia Arthur Siqueira Cavalcanti), centro de referência no tratamento de doenças do sangue, este tipo de uso pode produzir uma série de reações adversas.

O uso contínuo pode, por exemplo levar ao coma hepático e até à morte. Em homens, pode ocorrer inibição da função dos testículos, diminuição do volume do sêmen, alteração da libido, impotência, atrofia dos testículos e priaprismo (ereção contínua). Em mulheres, excesso de pêlos, engrossamento da voz, aumento do clitóris, alteração da libido e calvície.
Fonte: Folha