Cigarro light não poupa saúde de fumante

Fumantes que trocam de cigarro para o tipo light, acreditando que estão reduzindo significativamente a ingestão de nicotina, podem estar se enganando. Segundo uma pesquisa realizada no Japão, os cigarros light também oferecem altos riscos à saúde.
De acordo com a Agência Fapesp, o estudo mostra que os fumantes que trocaram cigarros com 1,1 mg de nicotina por outros com apenas 0,1 mg podem imaginar que diminuíram o consumo da substância em dez vezes, mas a redução não chegaria a duas vezes. “Aqueles que são fortemente dependentes da nicotina não têm vantagem alguma ao consumir cigarros do tipo light”, afirma Atsuko Nakazawa, do Primeiro Hospital da Cruz Vermelha de Kyoto, que liderou a pesquisa publicada no BMC Public Health.

Os pesquisadores investigaram a dependência de nicotina em 458 homens, por meio de questionários e exames como a medição na urina da concentração de cotinina, derivado da quebra da nicotina no organismo. A conclusão foi que entre os que fumavam mais de 40 cigarros light ou suave por dia simplesmente não houve redução significativa da absorção de nicotina.

Atsuko Nakazawa acredita que o fumante inveterado pode até mesmo estar correndo um risco maior devido a um “hábito compensatório”, com tragadas mais profundas ou em maior número. Os pesquisadores também denunciaram que as quantidades de nicotina descritas em algumas embalagens e divulgações de cigarro não correspondem ao total de nicotina consumido.

A pesquisa japonesa ocorre após o ministério da Saúde do país ter divulgado dados mostrando que o consumo final de nicotina é maior do que o escrito nos maços. A informação foi rechaçada por uma campanha publicitária das empresas do setor. A grande maioria dos fumantes japoneses consome cigarros dos tipos light ou suave.
Fonte: Terra