Usuário de drogas executado

Uma dívida não honrada com traficantes é a hipótese mais provável para a morte do jovem Ubiratan Santos Moura, 20 anos, executado com vários tiros anteontem à noite, por dois desconhecidos, próximo de sua residência, na Vila Olga, invasão do Sertanejo, vizinho à Rótula do Abacaxi

A informação foi passada por policiais do Serviço de Investigações (SI) da 2ª Delegacia (Lapinha), que já dispõem dos apelidos de dois suspeitos para o crime. “Dão”, como era conhecido a vítima, deu entrada sem sinais vitais, por volta das 20h, no Hospital Ernesto Simões Filho (HESF).

Ele foi baleado por volta das 19h30, em via pública, quando se encontrava na companhia de outro rapaz, cujo nome está sendo preservado, que se escondeu e não foi localizado durante o dia de ontem. O socorro foi prestado por Reinaldo Pereira, no Peugeot de placa HZN-6971, acompanhado por Tatiane Santos Moura, irmã da vítima. A delegada Celina Cássia Fernandes Santos, do plantão da 2ª DP, está responsável pelas investigações.

Ontem, familiares de Ubiratan confirmaram que ele já havia contraído outras dívidas para adquirir drogas. “Sempre que ele falava a gente providenciava o dinheiro, já mesmo para evitar alguma coisa desse tipo”, disse sua mãe, Marinalva Moura. Ela acrescentou que o jovem passava temporadas com ela e outras com o pai, Imédio Maria Moura, no bairro do Arenoso. “O pai sempre deu tudo o que ele queria. Não precisava estar se envolvendo com gente errada. Aqui tem muita gente que sabe quem matou meu filho, mas todos têm medo de represália”, denunciou a dona de casa. O corpo de Ubiratan foi sepultado ontem, no Cemitério de Quintas dos Lázaros.
Fonte: Correio da Bahia