Documento ajudará jornalistas em reportagens referentes ás drogas

A Agência de Notícias dos Direitos da Infância (ANDI) com apoio do Ministério da Saúde vai elaborar um material para auxiliar os profissionais da mídia ao abordarem temas relacionas às drogas. A opinião dos jornalistas que participaram, nesta semana, do Seminário Mídia e Drogas – O olhar da imprensa sobre o uso e a condição do usuário será utilizada na criação do documento.

Durante dois dias, cerca de 80 profissionais de comunicação e especialistas na temática drogas discutiram diferentes abordagens jornalísticas sobre o assunto. No final do encontro, as opiniões dos participantes reunidas em diferentes relatórios foram apresentadas e encaminhadas à comissão organizadora do evento.

O parecer principal centralizou-se na necessidade de expandir a discussão sobre as drogas, pois grande parte das reportagens está relacionada à violência. De acordo com os relatórios lidos no final do encontro, os profissionais pretendem relacionar a temática em discussões no campo da saúde, educação, direitos humanos e cultura.

Segundo o diretor-editor da ANDI e organizador do evento, Veet Vivarta, a partir dos relatórios elaborados pelos participantes do encontro será desenvolvido um documento sobre mídia e drogas. “Vamos criar um material para facilitar possíveis abordagens sobre o tema”, comentou.

Vivarta afirmou que na maioria dos conteúdos publicados, referentes às substâncias psicotrópicas, está explícito o “combate às drogas”. Para ele, um documento de auxílio aos jornalistas deve trazer novas abordagens sobre o tema. “Acredito que isso vai refletir em diferentes espaços nas coberturas jornalísticas e o público terá acesso a mais informação.”

Os jornalistas presentes no evento também destacaram a necessidade de mais abordagens sobre os projetos de redução de danos, pois muitos desconheciam esta política de saúde.

No próximo domingo (22), a Agência de Notícias da Aids publicará uma reportagem detalhada sobre a redução de danos, que há quase dez anos tem sido utilizada no Brasil para evitar a transmissão do HIV, entre os usuários de drogas intravenosas.
Fonte: Agência-AIDS