Depressão predispõe consumo de drogas

CIDADE DO MÉXICO – Um estudo realizado pelo Instituto Nacional de Psiquiatria do México revelou que as pessoas deprimidas que não dão atenção à doença e não procuram tratá-la têm maiores possibilidades de consumir drogas. A informação foi confirmada por especialistas em saúde mental.

Quando uma pessoa está deprimida e não recebe tratamento, tem quatro vezes mais possibilidades de desenvolver dependência a substâncias tóxicas que quando não acontece isso – disse María Elena Medina-Mora, diretora de investigações epidemiológicas e psicossociais do Instituto Nacional de Psiquiatria.

As pessoas com baixo estado de ânimo “chegam a recorrer a estimulantes, anfetaminas, cocaína ou álcool para obter um efeito de euforia que os desiniba e lhes permita a socialização”, acrescentou a especialista mexicana.

Segundo as informações divulgadas através da primeira pesquisa nacional de saúde mental do México, a depressão é uma enfermidade freqüente entre 12% das mulheres e 7% dos homens do país onde o estudo foi realizado.

No México, “a média de idade para a depressão são os 23 anos, mas a doença pode se apresentar em diferentes momentos da vida, como a adolescência, ao redor dos 17 anos, perto dos 32 e depois dos 65 anos”, afirmou Medina-Mora.

Outro dado relevante do estudo, é que “uma baixa percentagem de pacientes que sofrem de depressão recebe um tratamento eficaz”.

É comum que se “deixe ao tempo” a cura para o cansaço, para as idéias de culpa, da sensação de inutilidade, da perda de peso e da falta de interesse pelas atividades do dia-a-dia, alguns dos sintomas associados à depressão, concluiu a especialista mexicana.

Segundo o Instituto Nacional de Psiquiatria do México, 120 milhões de pessoas no mundo sofrem de sintomas relacionados à depressão, das quais 15 milhões vivem na América Latina.
Fonte: BOL