Tráfico forma consórcio para driblar polícia

Trabalho conjunto da Polícia Federal e do Ministério Público Federal vem tentando acabar com o consórcio de traficantes, que atua em Mato Grosso do Sul, na fronteira com o Paraguai, envolvendo as cidades de Amambai, Coronel Sapucaia, Aral Moreira e Ponta Porã. Trata-se de uma nova forma de agir dos integrantes do crime organizado que controlam o narcotráfico no Brasil e no exterior, distribuindo drogas para os grandes centros consumidores. Segundo o juiz federal Odilon de Oliveira, os consórcios começaram a surgir há poucos anos e teve sua origem nas crescentes apreensões de cocaína e maconha, causando grandes prejuízos para um só traficante.

“Eles se consorciam para o transporte de grandes quantidades de maconha ou de cocaína para baratear as despesas e para que os prejuízos, em caso de apreensão, sejam dissolvidos entre eles”, lembra o juiz.
Fonte: Correio do Estado