Tabagismo

A dependência de nicotina é a mais comum das dependências. Nos Estados Unidos, 50% da população adulta, no momento, é ou já foi dependente de nicotina. No Brasil, segundo os dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), um terço da população adulta fuma, sendo 11,2 milhões de mulheres e 16,7 milhões de homens. Os homens fumam em maior proporção que as mulheres em todas as faixas etárias. Porém, a mulher vem aumentando sua participação, principalmente nas faixas etárias mais jovens. No Brasil, como também vem ocorrendo em vários países do mundo, observa-se maior consumo de cigarros nas classes com menor poder aquisitivo e menor escolaridade. Os indivíduos tendem a começar a fumar ao redor dos 15 anos e somente 10% após os 19 anos.

Alguns fatores aumentam o risco de se tornar um fumante: hereditariedade, uso/abuso de álcool e outras drogas, déficit de atenção e sintomas depressivos.

Cerca de 92% dos fumantes têm consciência de que o ato de fumar é nocivo e ameaça sua saúde. Desses, 70% desejam parar de fumar, mas poucos (em torno de 5%) conseguem fazê-lo sem ajuda profissional.
Em nosso meio, há uma crescente demanda por tratamento de dependência de nicotina. Em um programa de tratamento para dependência de álcool, drogas e nicotina oferecido a professores, alunos e funcionários da Universidade de São Paulo (PRODUSP), desenvolvido pelo Grupo Interdisciplinar de Estudos de Álcool e Drogas (GREA) do Departamento e Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, os tabagistas correspondiam a 6% dos pacientes que procuravam tratamento em 1996. No ano de 2000, essa porcentagem atingiu 41% dos pacientes. Esse crescimento parece ser resultado de maior conscientização da população quanto aos riscos do hábito de fumar, mas principalmente da percepção dos indivíduos que existe um tratamento. Há hoje em nosso país uma demanda reprimida em relação a vagas para tratamento dessa dependência. Esse artigo visa discutir noções básicas do tratamento da dependência de nicotina.
Fonte: GREA