Álcool em qualquer quantidade prejudica o feto, dizem cientistas

Mesmo quantidades pequenas poderiam ser prejudiciais ao bebê, de acordo com uma palestra ministrada na conferência britânica para síndrome alcóolica em fetos.

A síndrome é um conjunto de anomalias em crianças que nasceram de mães que consumiram muito álcool durante a gestação, incluindo feições anormais e problemas no sistema nervoso.

Raja Mukherjee, da Escola Médica St. George, disse que, embora as estatísticas oficiais indiquem que um em cada cem bebês sofrem as conseqüências do consumo alcóolico de suas mães durante a gravidez, elas poderiam ser muito maiores.

Rótulo

Mukherjee disse que, embora os casos mais óbvios sejam detectados, muitas crianças que desenvolvem problemas comportamentais como resultado de sua exposição ao álcool são diagnosticadas como tendo “deficiência de atenção” ou “hiperatividade”.

O verdadeiro motivo, segundo ele, o consumo de álcool, não é detectado.

“O cérebro se desenvolve durante a gravidez, e o período mais delicado são os primeiros três meses, quando muitas mulheres ainda não sabem que estão grávidas.”

Países como a França e os Estados Unidos já obrigam as bebidas alcóolicas a imprimirem em seus rótulos os danos que o consumo podem causar em fetos.
Fonte: BBC Brasil