ONU ajudará o Rio a combater drogas e violência

Rio – Um programa de prevenção às drogas e à violência deve ser implantado no Rio até o fim deste ano. O acordo entre a Prefeitura do Rio e o Escritório das Nações Unidas contra Drogas e Crimes (UNODC) está em fase de conclusão e envolve recursos de US$ 7 milhões. Parte do dinheiro virá da Organização das Nações Unidas (ONU) e a outra parte da prefeitura.

A informação foi dada pela coordenadora de programas da UNODC, Cíntia Freitas, que participa do seminário “Drogas: Tratamento é Possível”, promovido pelo Ministério Público do Estado em parceria com o Tribunal de Justiça. Serão desenvolvidas ações voltadas à reintegração social de usuários de drogas e de ex-presidiários e medidas que ajudem a reduzir os fatores de risco junto aos moradores de favelas, mais vulneráveis ao envolvimento com o uso e tráfico de drogas.

De acordo com relatório da UNODC, mais de 200 milhões de pessoas consomem algum tipo de droga ilícita em todo o mundo. Em alguns países, mais de 50% dos roubos são cometidos por dependentes químicos, e o dinheiro gerado com a venda de drogas financia o tráfico, gerando o aumento da violência e dos conflitos com arma de fogo.

No Brasil, a UNODC desenvolve programas no âmbito do Acordo Básico de Assistência Técnica entre o governo brasileiro e as Nações Unidas, em colaboração com a Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores. Nos últimos dez anos, por meio do programa de redução da demanda por drogas, o escritório da ONU tem apoiado e implementado projetos de prevenção ao uso de drogas, com ênfase nas escolas, nos ambientes de trabalho e nas populações de risco, além de programas de prevenção à aids. Entre 1994 e 2001, essas ações reduziram de 21,4% para 9,4% o número de casos da doença.

O relatório mostra que aproximadamente 80 mil pessoas, entre trabalhadores e suas famílias, foram beneficiados pelos programas de prevenção desenvolvidos por empresas privadas junto aos funcionários. Além do Brasil, o trabalho foi ampliado para os países do Cone Sul – Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai, onde a UNODC coordena a assistência multilateral voltada para a consolidação de políticas nacionais de combate ao tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.
Fonte: Radiobras