Relatório sobre drogas cita Brasil

O governo brasileiro recebeu com tranqüilidade a informação de que o país voltou a ser citado pela Casa Branca entre os que possuem maior produção ou trânsito de drogas destinadas aos Estados Unidos. Segundo o Ministério das Relações Exteriores, o Brasil está desde 1986 na lista enviada anualmente ao Congresso americano. O Itamaraty afirma que constam da relação todos os países em que há produção, trânsito ou consumo de drogas e que o mais importante é o reconhecimento dos EUA de que há cooperação no combate ao tráfico.

O Itamaraty explica que a legislação americana só prevê sanções se algum país da lista não tomar medidas significativas – no julgamento do governo americano – contra a produção e o tráfico internacional de drogas.

Foi o que aconteceu, este ano, com Myanmar. Segundo os americanos, o país do sudeste asiático é atualmente o maior produtor de ópio do mundo. Em casos assim, a lei exige que o governo corte parte da ajuda financeira americana para o país e vote contra a concessão de financiamentos em instituições internacionais.

A Casa Branca explicou em nota que a “presença de um país na lista não reflete, necessariamente, uma avaliação negativa a respeito dos esforços contra as drogas de um país ou a respeito de seu grau de colaboração com os EUA”. No relatório do Departamento de Estado usado pelo governo americano para elaborar a lista, o Brasil é identificado como um país “com grande trânsito de drogas para a Europa e, em menor medida, para os EUA”. O relatório destaca que “o Brasil continua a cooperar com seus vizinhos sul-americanos no controle das fronteiras remotas, por onde passam as drogas”.
Fonte: JB OnLine