Concorrentes do Vioxx também podem trazer riscos

Drogas antiinflamatórias como o Vioxx, que está sendo retirado do mercado após descobertas ligações com problemas cardíacos, podem trazer riscos semelhantes, alertaram dois estudos publicados na última edição do New England Journal of Medicine.

A empresa farmacêutica Merck anunciou na semana passada que estava retirando do mercado mundial o Vioxx, droga usada no tratamento de artrite e dor, depois que um estudo revelou que seu uso aumenta os riscos de derrames e ataques cardíacos.

Publicados duas semanas antes do previsto, os estudos visam informar melhor médicos e pacientes sobre os riscos que representam medicamentos similares ao Vioxx, inclusive o popular Celebrex, do laboratório Pfizer.

A pesquisa, realizada em 1999, quando Vioxx e Celebrex foram aprovados pela FDA (Food and Drug Administration, entidade que regula alimentos e medicamentos nos Estados Unidos), sugere que todos os medicamentos desse tipo têm efeitos semelhantes.

Eles atuam da mesma forma no combate a inflamações, enquanto limitam efeitos colaterais como o mal-estar estomacal, comuns em antiinflamatórios tradicionais. No entanto, neste processo, eles bloqueiam uma substância que ajuda a proteger o coração, afirmou o cardiologista Garret Fitzgerald, da Universidade da Pensilvânia, que conduziu um dos estudos, financiado por duas empresas farmacêuticas.

“Eu acredito que é um efeito desa classe” de medicamentos, que inclui tipos similares, como o Celebrex ou Bextra, disse Fitzgerald. O Bextra, que chegou ao mercado em 2001, é a nova medicação do laboratório Pfizer para o tratamento da dor.

Ele alertou o FDA para modificar a informação nas embalagens para alertar médicos e pacientes sobre os riscos.

A diretora médica da Pfizer, Gail Cawkwell, disse que “as informações sobre o Celebrex são volumosas e excedem, na proporção de pacientes estudados e na abrangência destes estudos, as informações sobre o Vioxx.”
Fonte: BOL