Mulheres tabagistas têm risco aumentado de apresentar carência de biotina

14 de outubro de 2004 (Bibliomed). O tabagismo acelera a degradação de diversos nutrientes. Como a carência do nutriente biotina é capaz de causar cânceres em mamíferos, cientistas norte-americanos pesquisaram a relação entre o tabagismo e a biotina.

Segundo eles, as mulheres tabagistas excretaram quantidade significativamente menor de biotina na urina. A taxa de excreção de biotina reduziu em 30% e as taxas de bisnorbiotina e sulfóxido de biotina aumentaram significativamente, indicando uma destruição aumentada da biotina em fumantes.

Os pesquisadores concluíram que o metabolismo da biotina é acelerado em mulheres tabagistas, resultando em carência marginal da substância, o que poderia estar ligado a uma maior incidência de cânceres.

O novo estudo foi publicado esta semana na revista The American Journal of Clinical Nutrition.
Fonte: Boa Saúde