Conselho Antidrogas libera uso do chá do Santo Daime

O uso religioso da ayahuasca foi reconhecido nesta segunda-feira como prática legal pelo Conad (Conselho Nacional Antidrogas), depois de décadas de controvérsias entre usuários e autoridades brasileiras sobre se o chá seria ou não alucinógeno.

A resolução nº 4, de 4 de novembro, publicada no Diário Oficial desta segunda, admite juridicamente a legitimidade do consumo da bebida psicoativa. Ela é preparada com plantas amazônicas – o cipó mariri ou jagube (banisteriopsis caapi) e a folha chacrona ou rainha (psichotrya viridis).

A bebida é usada pelos mais de 12 mil seguidores da União do Vegetal, Santo Daime e outras entidades religiosas. A decisão é baseada no parecer da Câmara de Assessoramento Técnico-Científico do Conad, que reconhece o processo de legitimação do uso do chá iniciado há 18 anos.

Acompanhamento – O Conad criou também um grupo multidisciplinar para “fazer o levantamento e o acompanhamento do uso religioso da ayahuasca e das pesquisas para sua utilização terapêutica”. Deve ser formado por seis especialistas indicados pelo conselho e outros seis representantes das instituições usuárias do chá.

A sua primeira missão será criar um cadastro das entidades. O grupo terá que definir seu plano de ação em 180 dias para elaborar os princípios que vão nortear o uso da ayahuasca e “prevenir o seu uso inadequado”. A suspeita de que a bebida seria alucinógena está descartada na resolução publicada nesta segunda pelo Conad.
Fonte: Diário On-Line