Começa campanha contra álcool em excesso

A cervejaria holandesa Heineken está começando a pôr rótulos em latas e garrafas de cerveja com alertas sobre os perigos de beber demais.

A empresa disse que todas as garrafas e latas de suas cervejas vendidas no mundo inteiro terão um alerta e o endereço de um sitio na Internet que terá informações sobre consumo de álcool.

A iniciativa coincide com um momento em que os fabricantes de bebidas alcoólicas buscam evitar os processos judiciais com enormes pedidos de indenização que têm sido iniciados contra as empresas de tabaco.

O risco de ser alvo de um desses processos já levou muitos fabricantes de bebidas a incluir o aviso ?beba com responsabilidade? em seus anúncios.

Educação

A cervejaria britânica Scottish & Newcastle também já disse que vai pôr alertas em alguns de seus produtos sobre os riscos para a saúde.

A Heineken está querendo deixar claro que cabe aos consumidores decidir o que fazer e o quanto beber. Mas a empresa diz que reconhece que tem um papel a cumprir em ?educar? os consumidores de álcool sobre o que estão fazendo.

“Os consumidores são responsáveis por seu comportamento em relação à bebida”, disse o presidente da cervejaria, Thony Ruys.

“Ainda assim, estamos comprometidos a ajudar a lembrar os consumidores sobre como beber de forma responsável e os perigos de abusar do álcool?.

Até agora, o sitio da Heineken na Internet se dirige ao público dos Estados Unidos. As garrafas com mensagens já estão sendo vendidas lá.

Café forte

O sitio inclui informações sobre os limites recomendados para consumo de álcool, alertas para que as pessoas não dirijam depois de beber e um teste sobre o conhecimento de bebidas alcoólicas.

Uma das perguntas é sobre se café forte ou ovo batido podem ajudar a acelerar o metabolismo do álcool. A resposta no sitio é que nenhum dos dois vai fazer isso.

Mas o sitio também pergunta que efeitos positivos o álcool pode ter sobre a saúde e a resposta sugere que ?consumo responsável? pode reduzir o risco de doenças cardíacas.

Dados: BBC Brasil
Fonte: OBID