fbpx

Guerra do tráfico em morro do Rio causa 11 mortes em dois dias

da Folha Online

Ao menos 11 pessoas morreram desde o último domingo devido a uma guerra entre criminosos pelo controle do tráfico de drogas no morro da Mineira, no bairro do Catumbi (zona norte do Rio).

O delegado Ricardo Teixeira Dias, da 6ª DP (Cidade Nova), afirma que a guerra foi iniciada quando um grupo liderado pelo pedreiro Gilson Ramos da Silva, 21, o Gilson Aritana tentou assumir os pontos de venda de drogas pertencentes ao Comando Vermelho que ficam na parte baixa do morro.

Aritana é ligado à facção criminosa ADA (Amigo dos Amigos) e assumiu o comando da parte alta do morro depois que o traficante Irapuan David Lopes, 35, o Gangan, morreu, baleado pela polícia, em outubro.

A ação teria sido motivada pelo aumento no fluxo de usuários de drogas na parte baixa do morro –mais acessível– durante as festas de final de
ano e o Carnaval.

Mortes

Dois jovens –de 21 e 22 anos– foram mortos a tiros durante supostos confrontos com policiais, nesta segunda-feira, no morro da Mineira.

Pela manhã, Anderson Santos de Oliveira, 21, foi morto durante uma incursão de policiais militares do 1º batalhão. Com ele foram encontrados um revólver calibre 38, uma pistola 380 e 41 porções de maconha, afirma a polícia.

Por volta das 16h, Luciano da Costa Pinto, 22, foi morto em uma operação do Core (Coordenadoria de Recursos Especiais), da Polícia Civil, durante a qual foram apreendidos fuzis e porções de drogas. A polícia, porém, ainda não divulgou a quantidade do material apreendido.

Os dois jovens chegaram a ser levados no Hospital Souza Aguiar, mas não resistiram aos ferimentos. Ainda não é possível afirmar se eles tinham antecedentes criminais.

Guerra

Durante a madrugada desta segunda-feira, policiais da 6ª DP encontraram sete corpos decapitados e carbonizados em uma área do morro conhecida como “lixeirinha”, por tratar-se de um depósito de lixo.

A Polícia Civil chegou ao local por meio de indicações fornecidas por uma moradora, em fotos aéreas da região. Acredita-se que ela seja mãe de uma das vítimas.

Domingo

Após a ação dos criminosos, Ricardo Eugênio Rosa, 31, foi encontrado morto a tiros. Outros três –sendo um adolescente de 16 anos– foram baleados. Todos negam qualquer ligação com o tráfico e dizem ter sido vítimas de balas perdidas.

À noite, um homem foi encontrado dentro de uma lata de lixo que havia sido incinerada, na região central da cidade. A polícia ainda investiga a possível ligação dele com o tráfico.