Cerveja sem álcool pode proteger contra o câncer, diz estudo

da France Presse, em Paris

Pesquisas feitas com ratos de laboratório sugerem que a cerveja sem álcool pode proteger contra o câncer, informa a revista britânica “New Scientist”, na edição que estará nas bancas no sábado.

Sakae Arimoto-Kobayashi, da Universidade japonesa de Okayama, expôs um de dois grupos de ratos a produtos químicos cancerígeno denominados aminos heterocíclicos, que podem ser encontrados na carne cozida e nos peixes.

Entre os ratos que beberam cerveja sem álcool, o dano no DNA do fígado, dos pulmões e dos rins foi 85% inferior ao dos roedores que beberam apenas água.

Arimoto-Kobayashi, cujo estudo foi publicado na revista especializada “Journal of Agricultural and Food Chemistry”, acredita que ainda existem componentes não identificados nas cervejas tradicional e escura que impedem que os aminos se instalem nas células e as danifiquem.

“Se estes componentes forem identificados, os fabricantes poderão produzir cervejas particularmente ricas ou poderão ser acrescidos aos alimentos”, afirma a “New Scientist”.

A pesquisa até agora se limitou à cerveja sem álcool, por isso não se sabe se a cerveja normal tem o mesmo efeito. Além disso, o trabalho só está sendo realizado com animais de laboratório –nem sempre os resultados obtidos são iguais nos seres humanos.

O alto consumo de álcool está vinculado ao câncer. No entanto, o consumo moderado, em particular de vinho tinto, reduz o risco de enfermidades cardiovasculares.