Leis contra o fumo salvam vidas, dizem médicos

Médicos dizem que proibição diminuiu casos de câncer de pulmão na Califórnia

Um relatório do Centro de Pesquisa de Controle do Tabaco da Associação Médica Britânica descreve o sucesso de leis contra o fumo em diversos países e diz que há fortes provas de que elas ajudam a salvar vidas.
Segundo a Associação Médica da Califórnia, no Estados Unidos, a incidência de câncer de pulmão caiu seis vezes mais rapidamente no Estado do que naqueles que não têm leis de proibição do fumo, desde 1998.

Na Irlanda, a venda de cigarros caiu quase 16% nos primeiros seis meses da proibição, segundo a Organização Médica Irlandesa.

Mas há argumentos contra a proibição.

Fumo passivo

“A idéia de que centenas ou mesmo milhares de pessoas estão morrendo por serem fumantes passivos é um mito baseado em estimativas, cálculos e estatísticas que, por sua vez, são baseados em pesquisa extremamente dúbia”, disse Simon Clark, diretor do grupo de lobby de fumantes, Forest.

“A maioria quer que a norma seja de escritórios não-fumantes, mas em pubs, clubes e bares existe apoio claro pela escolha de áreas de fumantes e não-fumantes e melhor ventilação.”

No entanto, o presidente da Associação Médica Britânica, James Johnson, disse: “Poderosos interesses espalham mitos de que leis de proibição do fumo são desnecessárias, dizendo que são inoperantes, impopulares e levarão à ruína econômica”.

“Tais previsões são pouco mais do que provocar alarme. As evidências mostram que as leis de proibição do fumo salvam vidas.”

Controle em bares

Segundo ele, se o fumo fosse proibido em todos os locais de trabalho na Grã-Bretanha, as multinacionais do tabaco perderiam cerca de 310 milhões de libras (cerca de R$ 1,5 bilhão) em vendas todos os anos.

“Uma proibição ampla de fumar em locais de trabalho e lugares públicos fechados é essencial para proteger a saúde de não-fumantes e estimular os fumantes a abandonar o cigarro”, disse Ian Willmore, da organização contra o fumo ASH.

Em seu Livro Branco para a Saúde Pública na Inglaterra, o ministro da Saúde britânico, John Reid, anunciou planos para a proibição parcial do fumo em lugares públicos fechados.

Por exemplo, os pubs que servem comida teriam que aplicar a proibição, mas os outros, não.

A Associação Médica Britânica diz que isso a medida seria insuficiente e destinada ao fracasso.

Fonte: BBC